quarta-feira, junho 21, 2006

Eu nada queria


Não pedi nada, apenas um amar tranqüilo e o risos compartilhados em madrugadas de paixão.
Nada pedi além de prosaicos bancos de jardim
e beijos sem alarde.
Não queria nada, senão seu delírio em murmúrios.
Não quis sonhos, não pedi amor.
Só a carícia doce dos seus cabelos em meus seios.
Não quis paixões, nem pedi sendas para sua alma.
E ainda assim, você se foi, deixando apenas o sabor de fim
e mais lágrimas em meu rosto já cansado.

10 comentários:

Lúcia disse...

Hum, que texto bom de ser ler neste friozinho, traz boas recordações do meu passado, risos... Um beijo!

cilene disse...

e se foi me deixando com esse vazio....

Karla disse...

E se foi me deixando com vontade de quero mais..
e eu que desaprendi a chorar..
Que faco eu nos bracos em que a vida me largou?
Se nem ao menos calar consigo?
Beijos de lua!!!!

Ritoca disse...

Oi Saramar!

Que delicadeza, que beleza!!!

Uma linda tradução de um sentimento.

Parabéns!

Beijos

Jonas Prochownik disse...

Quem pouco pede muito ganha, tenho certeza. Um otimo fim de semana pra vc. do amigo Jonas.

Kristal disse...

Eu pedi amor.

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Saramar:

...veja bem, não será tanto "sabor do fim" mas tão só o sabor do princípio de uma nova vida.

Um beijo,

Zé Carlos disse...

Saramar, como vc escreve lindamente... suave e doce.
Obrigadão pela visita de hoje. Que bom vc ser amiga da Melliss... nós nos conhecemos acho que há mais de seis anos, quando comecei a fazer sites.... Ela é também uma fonte inesgotável de ternura.... Bjs do Zé

Poemas e Cotidiano disse...

Saramar querida: Que linda poesia! Como voce escreve lindamente! Romantica...
Seu Blog eh tao bonito e tao delicado!
Um beijo
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

PS: Nossa, agora que vi que o Ze comentou, e colocou "lindamente" como eu.
Alias, eu coloquei como ele. Ai voce ve, que esta lindo mesmo, ne?
Beijso