domingo, março 16, 2008

Dos desertos em mim, sem você...


Eu que, antes,
queria tudo ontem,
atravesso o meu deserto com calma,
lambendo feridas de quem se perdeu
do amor,
arrancando, do peito, as adagas de quem perdeu
seu amor.

Eu, que quis tudo antes
e julgara para sempre o que foi breve,
contemplo com calma,
o acaso dos seus desejos,
dos laços, antes dourados,
agora, vermelhos, rasgados.

Eu, que tanto pedi, urgente e sem pejo,
e esperei o riso, a boca, o beijo,
deixo-me ficar, após encerrar-se a cena,
deixo-me aqui, sozinha,
emudecendo as luzes,
descosturando silenciosamente as fantasias
que juntos bordamos em telas oníricas
azuis, azuis, como o amor.

Deixo o desenho a duas mãos, falso
e parto, sem chão, sem pátria.
Deserto
deserta de você, deserto de mim.

Parto tranquila,
tranquilamente.
mente,
mente, minto,

(não suporto dormir sem suas mãos entre as minhas)

Imagem: Enriqueta Kleinman

14 comentários:

Angela Ursa disse...

Saramar, você cria imagens poéticas lindas: "descosturando silenciosamente as fantasias..." e outras mais! Beijos floridos da Ursa :))

BANDEIRAS disse...

Boa noite,

"Não suporto dormir sem suas mãos entre as minhas"

Falar mais o quê?

bjs

Odele Souza disse...

Li recentemente num comentário que você dança com as palavras. Dança mesmo.

Um beijo.

mãe global disse...

Saramar,
Toda a vez que leio seus poemas fico pensando como você consegue contato com esse amor que descreve de forma tão bela. É uma alma iluminada. Parabéns! Ah, passei lá no Suite Blog para conhecer e fiquei encantada, é um blog de muito bom gosto no visual e no conteúdo também. Vou estar por aqui e por lá também.
Beijos,
Rosana

Lola disse...

Olá, Saramar,
Dá uma passadinha lá no "Consciência" e vê se pode atender ao pedido de ajuda de alguma forma.
Beijo.

adelaide amorim disse...

Melhor não dizer nada. Melhor ler, viver e calar.
Beijo pra você.

O Puma disse...

Olhe para o lado

de outra janela

verá que lá podem estar

outras mãos

nas suas

Mimi disse...

eu também digo uma mentira ou outra pra mim mesma vez em quando...

Beijo, Saramar

Lilian Britto disse...

Lindo, simplesmente lindo. Passando pra desejar q sua semana seja espetacular. Beijos.

Mar Arável disse...

Já vi desertos

muito belos

Tente

Anônimo disse...

Fala ai Saramar .. espero que vc consiga atravessar esse deserto a tempo de comemorar a Pascoa .. de qualquer forma queria te desejar uma feliz pascoa .. e tbm dizer que ando sentindo falta da amiga .. um beijo grande Meu .. guto leite.
www.chutandoobardi.blogger.com.br

Conceição Bernardino disse...

Boa noite,
Desde já venho desejar uma Santa Pascoa.

Nasceu um novo portal de Poesia e com ele um Blog.
Um site dinâmico onde esperamos goste de participar e contribuir para que seja o grande portal de poesia em língua portuguesa.

Lá pode:

 Enviar poemas pessoais
 Enviar poemas de autores consagrados
 Enviar fotos pessoais ou outras
 Participar no fórum
 Descobrir links ligados à poesia
 Classificar os poemas
 Ver os comentários aos seus poemas
 Ser integrado numa comunidade onde pode trocar mensagens com os utilizadores, etc
 Todo tipo de texto: Crónica, contos, ensaios, novelas, Etc

Visite e se gostar divulgue-o junto dos seus amigos.

Visite http://www.escritartes.com/forum/
http://blog.escritartes.com/


Participem no Blog Escriartes...vá lá dêem as vossas opiniões, sugestões.

Colabore: Textos, Poemas, entrevistas, se tiver recortes de jornais onde saiu, projectos, musica, dança, artesanato, pintura ele foi feito para todos nós.

Obrigada a todos...
Venham dai

deixe aqui o link do seu Blog se quiser ser adicionado ao Blog Escitartes.

Cumprimentos,

Moderadora Geral
Goreti Dias

Moderadora
Conceição Bernardino

meu mail - conceicao.mami@sapo.pt

Alessandra disse...

poema extremamente belo e profundo, a primeira estrofe já me bastaria, me alimentaria a alma! Lindo demais, amei! E a primeira e última se completam como se fossem um poema sem precisar das do meio, quer dizer um poema completo de todo jeito!

Marco disse...

Não me conformo de o mundo todo (o planeta) não conhecer suas letras e não poder se beneficiar dos bálsamos poéticos que você, fadinha de condão encantado, nos deixa sempre ao alcance dos olhos. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.