terça-feira, abril 22, 2008

Tivessem asas, as palavras

"o seu amor reluz que nem estrela,
asa do meu destino..."
Djavan


Tivessem asas, as palavras
e não se amarrassem
à ancora da solidão
se não lhes pesassem os pedaços,
frágeis destroços de sonhos
de todo o amor naufragado.

Se não pesassem as palavras
sob a fome da dor
perdidas do seu alimento,
o canto de amor silenciado,
morto.

Tivessem asas, as palavras
depois de marítimo vôo,
desfeita a agonia
em céu de música e luz,
de mímicas aventureiras,
soltas, as palavras, e leves
pousariam calmas em teu peito,
enfim porto.

Imagem: Kollembaum

17 comentários:

frodo disse...

Desde pequeno cantarolo essa canção do Djavan. Faz parte do que eu chamo de "As canções que sempre tocam dentro de mim". Ainda vou escrever um post sobre isso...
Beijos, amiga!

Isabel-F. disse...

parabéns pelas tuas palavras ...

são lindas ...

belissimas.

adorei


beijinhos

Mimi disse...

Tivessem asas, eu gostaria de voar com elas para beijar meu doce amado...

deixo um beijo em ti

Vinicius disse...

Olá.Sou visitante novo do teu blog, e logo entrando me deparei com este belíssimo poema.
Poesia pra mim é sinônimo de criatividade,e como é criativo este poema.... "se as palvras tivessem asas" elas chegariam longe.:O)
Uma boa semana e fim de semana pra ti.
Abraços.

Multiolhares disse...

Que as palavras ganhem asas e te levem a porto seguro
beijinhos

Multiolhares disse...

E só com o coração podemos der felizes
bj

Sonia Regly disse...

Vim convidá-la para passar lá no Compartilhando as Letras, têm post novo!!! Seu Blog também é lindo, textos muito bons, voltarei sempre!!!

Claudia Perotti disse...

Inspiradoras as letrinhas voadoras!
Beijinhosssssss

poetaeusou . . . disse...

*
as palavras têm asas,
podes crer,
,
conchinhas
,
*

Zeca disse...

Palavras aladas pousando, leves, sobre o peito, o porto. Linda imagem de sonhos (não destroçados)...

Edimar Suely disse...

Olá,

Saudades.


Pasando para conferir as 9dades, matar as saudades e dizer que estou de endereço novo, viu?

Smack!

WEdimar Suely
jesusminharocha.blig.ig.com.br

david santos disse...

Olá!
São canções que nem o tempo as faz esquecer: cantam-se sempre.
Parabéns.

Cineasta 81 disse...

Odeio pensar em amor com tanta melancolia envolvida, por isso não gosto de Djavan.

Yvonne disse...

Saramar querida,

Estou tomando a liberdade de enviar um comentário padrão para todos os blogs que eu amo de paixão. O motivo é que resolvi encerrar o meu blog por motivos pessoais. Não tenho mais condições de participar da blogosfera do jeito que eu gosto, mas não vou ficar para todo sempre distante. Por favor, leia o meu último post que explica a minha razão.

Beijocas

Sonia Regly disse...

Sara estou sentindo falta da sua passada lá pelo Compartilhando as Letras, têm postagem nova.Beijinhos.

Jota Effe Esse disse...

Saravá, Saramar! Cadê tu, que não vens me visitar? Até pareces comigo, que não tenho tempo pra visitar os amigos, mas aqui estou pra beber de tuas palavras. Meu beijo.

Hermínia Nadais disse...

Muito bom vaguear por aqui. Há calor humano... O que a gente precisa!