sábado, abril 05, 2008

Infinitos


Desde o passado, em mim, vivias.
O que sempre imaginara vida,
agora sei,
foi a saudade de ti
que eu ainda não sabia.
Minha alma te esperava.
Tornaste possível a eternidade
(sonho dos deuses)
trocaste o nunca e o futuro dos amores
(quase sempre a solidão)
por tua permanência.
Antes mesmo que em mim, vivesses,
de ti, antes, sempre fui
ainda que apenas um murmúrio
de vento anunciasse teu existir.
Tua, entre os tempos,
em infinitos, ando pela vida.

Imagem: Da Vinci

16 comentários:

Anônimo disse...

Saudade!? O que é isso?

Mas está bonito o poema, embora saiba que são só palavras.

outros oceanos.

BANDEIRAS disse...

Sara!

Este poema está lindo, maravilhoso, você como sempre se superando.
Amar é se perder na eternidade dos tempos.
te amo
bjs

Tigrão disse...

Querida amiga,

Adorei o poema, e não são só palavras, é amor.
te amo
bjs

Voodoo disse...

Meu Anjo,

Faz tempo que não usava o nick acima, me enganei na senha de acesso e dei com ele, adorei, vc ainda lembra?
O poema está realmente lindo, muito lindo mesmo, maravilhoso.
Te amo
bjs

Ursula disse...

Bonito poema. Beijos

Odele Souza disse...

Saramar,

Que coisa boa é falar de amor, que coisa boa é ouvir "te amo". Como aqui nos comentários de teu blog. Também eu Saramar, também eu te amo.

Um beijo.

Cineasta 81 disse...

Não tenho mais saudade.

Mimi disse...

Saramar, acho que eu quem dei mancada porque não te avisei do mimo para o qual te indiquei.

Mas mimo bom é assim, quando encontrado de surpresa!

um beijo e saiba que eu considero lindo tudo o que vc escreve, incluindo a poesia de hoje.

Vc sempre me cativa.

DO disse...

Feliz de quem tem tamanho dom de colocar tão bem as palavras.
Beijão,Saramar!!

Hermínia Nadais disse...

Foi por acaso que aqui entrei... dei uma voltinha... gostei... e adicionei aos meus favoritos. Obrigada por esta maravilha!

Lunna Montez'zinny disse...

Hoje estou com a sensibilidade a flor da pele - não consegui nem terminar o poema e já estava eu com lágrimas no rosto.
O poema é lindo e de uma sensibilidade gostosa que faz flutuar

Tua, entre os tempos,
em infinitos, ando pela vida.

Sem mais o que dizer.
Abraços nessa noite de chuva e saudades...

poetaeusou . . . disse...

*
*
saramar
,
infinito
a �nsia do imagin�rio,
a eternidade do sonho
a solid�o da vida,
no desterro do tempo,
,
conchinhas infinitas
,
*

PoesiaMGD disse...

Uma bonita poesia!

deixo um convite:

http://www.escritartes.com/forum/index.php?referredby=3

Um abraço

Vieira Calado disse...

O amor é uma inesgotável fonte para os poetas.
Gostei do deu poema.

Bjs

O Árabe disse...

Mui belo, Saramar! Confesso que me faltam palavras...

Sueli disse...

Bom para mim este poema, Saramar, pois não sei se a saudade está me matando ou se dela me alimento... Abração!