quarta-feira, abril 16, 2008

Desalinho


"A esperança está viva, a vida está certa:
guarda a minha mão, guardarei a tua."
Alexandre O'Neill
Vê amor,
a vida se esgarça em fios lentos
o meu tempo, o teu
em desalinho, precipício
já não sei onde piso,
mas ainda te pertenço
ventre, mãos, olhos desfeitos
de tanto exílio.

Vê amor,
que outras palavras diria
se soubesse o que mais dizer
além do que tua alma pressente?
Que dialeto haverá, novo
de dúvidas outras e belas?
(o pulsar da cor em teus olhos talvez,
quando o sol nos encontrar,
de felicidade, despertos).
Quanto de minhas veias hei de abrir
para que fluas em mim,
vida enfim?

(à ausência da flor levíssima do teu amor
desvaneço-me, extinta).

Imagem: Haleh Bryan

22 comentários:

Tigrão disse...

Boa tarde garota,

Obrigado pela visita, é um blog realmente sem prestenção, como se houvesse alguma na vida...
Rir, ainda é o que nos torna mais engraçados.
Parabéns pelas lindas poesias, sempre.
bjs

Hermínia Nadais disse...

Gostei tanto deste blog!... Adicionei aos meus favoritos!... Não podia deixar de ser.

Jota Effe Esse disse...

Não, não, não, espere um pouco, estou chegando! Meu beijo.

Bill disse...

Vê amor,
que as horas badalam sem nome
no tic tac da saudades...


Ausência presente que se desprende dos olhos mas não da alma...


Beijo doce moça e ótimo fim de semana

:*

david santos disse...

Recordando que hoje 18 de Abril tem a Blogagem Coletiva “O que voce faz para acabar com o analfabetismo no Brasil?”

Eu também estou nesta.
Abraços

Golby disse...

Saramar. Mudei de endereço e desde sempre te coloquei lá pra vir aqui vez ou outra ler teus textos.
Muito bom ler teus textos.
Abraços.

Golby
www.golbypullig.com

Mimi disse...

eu venho aqui e só faço suspirar.

Linda palavras, sempre...

beijo

Marco disse...

Você acerta todas... Que talento, meu Deus! Bom feriado. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Lunna Montez'zinny disse...

Manhã de sábado, momento mágico, um poema, um canto solitário, um pássaro percorrendo caminhos e os olhos que se fecham rapidamente para olhar para dentro e se permitir uma saudade gostosa que traz aconchego. O abraço de ontem, o beijo de agora há pouco.
Belo poema...

Odele Souza disse...

Saramar querida,
Passando para de novo me encantar com teus textos.

Bom fim de semana.

Sonia Regly disse...

Saramar
Agradeço a visita e o lindo comentário.Apareça sempre sua visita muito me honra.Seus textos são lindos!!! Parabéns!!!
www.compartilhandoasletras.blogspot.com

Sandra Fonseca disse...

Encantada com seus poemas! lindos e femininos.
Parabéns pelo belo espaço que cultiva aqui.
Um abraço.

Bichodeconta disse...

Lindissimo poema.. deixo um abraço perfumado de alecrim.. Boa semana, ell

Sonia Regly disse...

Saramar,
Amei sua visita, seu comentário.Apareça sempre que vc puder, sua visita muito me honrou.Obrigada.

Sonia Regly disse...

Seu Espaço é muito diversificado e interessante.Gostei!!!!!

.:Tati Sabino:. disse...

encantada como sempre com suas palavras, apaixonate!
bjo!

Zeca disse...

Final de feriado,
noite chuvosa,
friozinho
arrepiando espinha.

Ao longe,
som de cão
solitário.

Aquí, um romântico
"desalinho"
me deixando comovido.

elisabete do encanto disse...

Saramar

A cada letra vc me encanta querida!

saudades!

Janaina de Almeida disse...

Belas e apaixonates palavras,Saramar.
Amar á muito bom.Um abraço.

Clítia disse...

Desvanescer extinta_______forte imagem da dor.
bom dia
bjs

Flávio disse...

Lindíssimo, Saramar! Mas isto não é novidade, vindo de vc. Bjs, boa semana

O Árabe disse...

Sem amor, aos poucos em nós se esvai a flor dourada dos sonhos. Triste realidade. :(