sábado, junho 28, 2008

Lamento de quem ama sem conhecer o amor


O que vale amar, se faz frio
e a noite é um vidro fechado,
apenas?

O que vale amar, se tudo se fecha,
se chove interminavelmente
e, em seus olhos,
nenhum brilho de arco-íris nasce,
como sempre acontece com quem ama?

Abrir-me como o vaso pressentindo a flor
a conduzir a vida com seu perfume,
deu vida aos espinhos que meu corpo cingem,
apenas.

Despeço-me, então, da ternura e da paixão,
deixo o beijo para quem conhece o mistério
de abrir o sol com a língua.
Deixo a doce lida de amar
a quem pode colorir os olhos, depois da chuva.

Nos meus, a lágrima cortante dos sozinhos,
apenas.

Imagem: Nuno Peixoto Branco

12 comentários:

GRACE OLSSON disse...

MINHA QUERIDA,

AMAR ALGUÉM SÓ VALE A PENA SE A VIDA FOR UM MAR ABERTO, SEM CORRENTES A AMORDAÇAR.
BEIJOS E BOM DOMINGO

Vieira Calado disse...

Muitas vezes nos perguntamos precisamente isso: se vale a pena amar, se... isto... ou aquilo...
Mas eu acho que sim.
Beijinhos

' arcano disse...

Sou grata pelo fato de sempre existir segundas opções. E me revolta que isso nao valha nas leis do amor.

Odele Souza disse...

Triste e belo o teu poema.

Boa semana.

Suelly Marquêz disse...

SARAMAR, amar que texto lindo,
olhos sem lágrimas não amam, pois olhos de quem amam tem que ter agua pra refletir arco iris,
beijos

Jacinta Dantas disse...

Seu esapço de belas poesias que me levam a refletir. O amor. Ah! o amor. Sempre ele a roubar nosso sono e nos trazer alegrias. Mesmo quando digo não, sempre vale a pena.
Beijos

suruka disse...

Quantas vezes o ser humano ama
sem ser amado.

bj

moacircaetano disse...

Amar não exige diploma, nem especialização, nem conhecimento específico. Só é preciso que encontremos alguém que ame como a gente...
Beijo!

cilene disse...

Penso que assim e melhor nao amar, minha amiga. Por isso nao amo quem me faz chorar.

Marco disse...

Amiga Saramar,
Li e reli cada palavra. Saboreando como se fosse um vinho Romanée-Conti da melhor safra. Você é incomparável. Sempre. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Tina disse...

Oi Saramar!

A lágrima dos sozinhos dói. Muito.

Mas seus versos alegram os olhos. E agradeço.

beijos querida. Obrigada.

Anônimo disse...

O amor é terra que ninguém vai....Dificilmente da certo.
Mas você é de mais quando fala do amor, só não sou muito crédula a ele.
Beijinhos