sábado, agosto 09, 2008

Do que não digo


Saberá o pálido papel
do veneno e da urgência
que tomam da boca as palavras
ou do júbilo dos corpos multiplicados
em muda agonia de amor?

As palavras que sei nada sabem
do que pressinto no teu peito,
ninho de gemidos.

Nada que eu diga, diz tudo de ti,
do devanear ou da saudade antiga,
pois que vives já nas minhas veias
semente, veio valioso do desejo.

Do que sei de ti,
tão dentro de mim,
as palavras não sabem dizer.

Imagem: Eduard Munch

13 comentários:

Isabel-F. disse...

Oi Saramar,


Mais uma maravilhoso poema teu, que adorei.

Os meus sinceros parabéns pelo mesmo.

beijinhos e bom fim de semana

dácio jaegger disse...

As palavras são mensageiras, mas nem sempre captam o âmago
na sua mais íntima acepção... Beijos Saramar.

Mimi disse...

Penso que nem precisa falar, só sentir a pele arrepiar!

(como a minha a ler suas palavras)

beijo grande

Pelos caminhos da vida. disse...

Olá!

Belo poema.



beijooo.

Mário disse...

Saramar, continuas escrevendo talentosamente, deixando o sentimento fluir á flor da pele.

Claudia Perotti disse...

Querida,

Sem dúvida nenhuma é umas das letras que mais gosto nesse universo virtual.

Beijinhosssssssss

Alexandre Core disse...

Perfeito! Acho que somos poetas por sempre buscar as palavras certas para os lugares certos. E às vezes abusamos tanto, que elas, de pirraça, não conseguem abraçar nossas intenções.

Não há sentimentos que não possam ser descritos em palavras. O que há é a nossa falta de jeito para encontra-las dentro de nós.

bjs,

Sueli disse...

Ainda falta inventarem tantas palavras. Certos sentimnentos não se tem como traduzir falando ... Beijo!

Tomáz disse...

Teus versos são perfeitos, vão num crescente até o final inesperado. Parabéns. Abraços.

Yvonne disse...

Linda e perfeita como sempre.
Beijocas

maria claudete disse...

ah Saramar você sempre encontrando acertivas para as incertezas que tripudiam o coração dos amantes. Muito lindo! estou me sentindo presenteada , especialmente hoje lendo este belo poema. Abraços, Claudete

Claudia Perotti disse...

Ler-te é muitoooooo bom!
Beijinhosssssssssssss

Márcia(clarinha) disse...

O não saber das palavras evocam urgência de ter

lindo dia doce Saramar
beijos