quarta-feira, julho 23, 2008

Noturno

Se à ilusão me entreguei
foi pelo peso das noites
e o amanhecer que tarda.

Enceno, toda noite,
a delicada farsa de uma festa.
Sonhos trançam redes
nas paredes da madrugada lenta
e és apenas a sombra rápida
que pulsa no ritmo de extinta música.

Entreguei-me à ilusão noturna
de tua presença.
Não durmo para entrevê-la
ou ela não me deixa adormecer
ou não quero adormecer
pois que só nos festivos delírios
da lua em minhas flores,
adivinho teu riso,
frêmito de sol entre as sombras.

A manhã me encontra reclinada ainda
sobre a ilusória festa.
O dia se estende como o frio lençol
que se deita sobre mim.
Nem mais ilusão existe,
uma claridade indiferente
é o que resta.
Imagem: Silvia Lopes

35 comentários:

Claudia Perotti disse...

Mais um poema que toc o coração da gente e sem dúvida nenhuma saio daqui muito mais inspirada!

Beijinhosssssssss

Yvonne disse...

Seus poemas são maravilhosos e um alento nos dias em que não estou bem. Querida, o meu endereço é yvonneparadatz@hotmail.com. Me manda uma mensagem.
Beijocas

Grace Olsson disse...

Saramar, quando eu não encontro respostas para meus desalentos, aqui venho e me entonteço com seus versos.
Beijos e dias felizes

Mimi disse...

Ah, mas eu sei bem o que é isso... mas cansei, fechei minhas janelas e olho mais ao meu redor.

Só isso o que me restou.

Beijos, Saramar

elisabetecunha disse...

Amo te ler!

Minha linda!

Marco disse...

Jesus! Mas essa mulher abusa do direito de ser talentosda! Esse poema é uma história! Visualizei tudo, viajei, sei quem é esta mulher, o seu amor, tudo fez todo sentido para mim! Mais um golaço da nossa querida feiticeira goiana... Você não tem jeito, Saramar... Só te colocando na Academia Brasileira de Letras! Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Bruna disse...

Saramar,

obrigada por injetar poesia no meu quotidiano meia boca.

Beijo grande

Luci Lacey disse...

Lindo, doloroso...

Beijinhos

maria claudete disse...

Oi Saramar, valeu! você consegue mostrar que se o dia mostra as cores do mundo real, a noite foi feita para sonhar. Abraços. Clau.

Flah disse...

Tenho vivido nessas - e dessas - encenações...

Lindo o poema - suave e delicado como uma carícia de pluma.

Grande beijo

Sonia Regly disse...

Saramar,
Têm postagem nova lá no Blog.Apareça por lá.Beijinhos,

Hermínia Nadais disse...

Sentimentos tão belos...

RESSACA disse...

Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.

Bill Falcão disse...

Belíssimo! Ainda mais quando eu me lembro que as ilusões vivem me perseguindo!
Bjooooooooooo!!!!!!!!!!!

Esyath disse...

Saramar,

muitas vezes o que me acorrenta aos sonhos da noite, é que neles encontro esta ilusão... sinto e vejo o sorriso do amor... e durante o dia... só sobram lembranças apagadas...


Beijos (Des)conexos!;)

Zeca disse...

Belo e inspirado poema que fala das ilusões e desilusões do amor. Lindo!

wander disse...

Embriaguei-me dessas palavras,não pude me conter...
É assim em noites e quase sempre fugaz os meus anseios.há um toque de fragilidade que me encanta e me faz imaginar o quanto se perde em uma só noite...

Lindo Saramar.

O Sibarita disse...

Oi Fia, é você mesma, é? kkk Ah bom... Tá escrevendo porretamente divina, bela poesia!

Sumiu né? kk Mais seu velho amigo não lhe esquece não! Oi lembra-se que o Sibarita fez 02 anos dia 11/07? Pois é. fiz uma festinha lá com tres textos se poder leia-os agora são grandes e não deixe de ler todo principalmente essa última parte que coloquei hoje, viu sua menina retada!

bjs
O Sibarita

Flah disse...

Saramar querida, muito obrigada pela sua visita e pelo apoio no meu momento de desabafo lá no blog. Infelizmente há mesmo quem interrompa o equilíbrio das coisas, mas esses ficam para trás, perdidos em alguma curva do caminho - levo apenas o que me é engrandecedor e precioso. Agradeço-te imensamente pela tua delicadeza.

Beijos doces pra vc.

Beijos!

Sueli disse...

quem já teve a insônia como companheira, num desatino do amor, sabe bem do que você está falando... Só não sabe traduzir tão bem quanto você. Divina! Beijo!

Dauri Batisti disse...

Saramar, que coisa linda você escreveu. O amanhecer, muitas vezes, é frio, áspero, indiferente mesmo.
Abração.

Ps. Obrigado pela visita ao ESSAPALAVRA.

José Rodrigues (JR.) disse...

Olá, seguindo as pistas deixadas por voce no Experimentando Versos chego, enfim, em seu belo espaço poetico. Que ótimo que a minha postagem no forum do recanto das letras serviu como ponte para voce chegar ao meu espaço. gostei das poesias que li e as imagens. o seu blog tem um visual bonito! claro que voltarei outras vezes para poder ler as outras obras e, sobretudo, comenta-las.
caso vc não se importe, eu vou colocar o link de seu blog no meu "blogs amigos", pois assim não corro o risco de perder o seu endereço e, tambem, cria uma ponte para o seu espaço.

um abraço,

ROSA E OLIVIER disse...

"Desde mi ventana,
campo de baeza,
a la luna clara!"

António Machado, nasc. 26/7/1875, Sevilla...para ti...

Claudinha disse...

Ha momentos em que a claridade da realidade corta feito aço, mas é muito bem viver momentos de lua embriagada em flores e de amanheceres de lençois brancos de dia... Um beijo!

Sonia Regly disse...

Parabéns pelo lindo poema.Têm uma interessante postagem sobre a Flávia que vive em coma há mais de 10 anos.Passe por lá.Beijinhos.

suruka disse...

Com a alma em chama
depois deste poema.

Lindo como sempre.

bjs

Lena disse...

poema duma pureza
muito lindo


um beijo

janaina de almeida disse...

"Sonhos perfeitos tem que ser imperfeitos"tradução de Little by little, do Oasis.
Ilusão é bom, na medida certa.
Um forte abraço e tudo de bom, beijos.

cilene disse...

Mais um poema lindo...bom domingo! Eu nunca sei o que comentar...diante dos seus poemas

Blau disse...

há muito não via um poema tão lindo!


(:
Beijos;

Anônimo disse...

Se a tarde cair, eu vou me render... como ao teu poema.

te beijo


Taís Morais

L. Rafael Nolli disse...

Olá, Saramar! O poema é muito bonito mesmo. Tem uma forma de nos conduzir, de nos seduzir, com frases bem estruturadas - a festa mapareceu aqui como uma metáfora expressiva! Abraços!

Janaina Staciarini disse...

Simplesmente divino, Sara. Que falta me fez passar por aqui.
Um beijo enorme.

Sonia Regly disse...

Têm uma postagem sobre a violência nos jogos eletrônicos e essa consequência no comportamento das crianças e jovens.

Marco disse...

Fiquei lendo este seu ão belo poema, pensando como ele ficaria na boca de Julieta, na cena depois do balcão. Acho que o velho William assinaria em baixo de suas palavras. Voc~e ainda é e pelo visto sempre será a minha poetisa favorita! Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.