sexta-feira, setembro 30, 2005

Coisas

"Vestígio, presença do que está ausente. Aura, emanação de uma ausência evocada em presença."

Linda construção que achei em uma resenha da Revista Viver Mente e Cérebro (Agosto/2005). E, como sempre, comecei a devanear sobre o que li.
Ontem, havia pensando nas palavras que mais gosto, não pelo significado, e sim, pela melodia, pela força ou fragilidade delas. Qualquer dia, faço uma lista. "Vestígio" é uma delas.
Vestígio, para mim, evoca coisas que passaram, marcas, assim como um beijo cujo sabor jamais será esquecido ou um olhar cravado em mim para sempre.

2 comentários:

Nômade disse...

Para mim, o beijo passado, pode sempre ser repetido no futuro.

Os lábios se abrem como rosas ao beija-flor, impossível não querê-los.

Sorry.

neo-orkuteiro disse...

Saramar, vi beleza e pertinência na simplicidade deste post onde você fala de suas coisas, com forte interesse léxico.