sexta-feira, dezembro 30, 2005

Minha companheira


Ela já está chegando, pressenti desde ontem e venho tentando me esconder. É impossível. Nem o "Quase Tudo", com aquelas lindas fotos da Danusa, adiantou. Então saí buscando amigos, mas todos estão muito ocupados com as festas, ou melhor, com a festa.
Ela não tem nada a ver com a festa, ou com as festas de final de ano. Não sou daquelas que ficam melancólicas no natal ou reveillon, ao contrário. Quem me conhece sabe que adoro festas.
Esse ano é diferente, é o mais diferente. Houve muitas perdas e muitos ganhos. As perdas foram muito mais profundas. Os ganhos foram muito mais diversificados e intensos.
Perdi o amor, quero dizer, o amor sumiu. Não o encontro em mim. Por isso, estou vazia.
Perdi meu pai e, por isso venho chorando há uns dias, desde que comecei a ouvir "Adeus ano velho, feliz ano novo...." porque ele adorava cantar isso. Logo ele, que não cantava nada! Então fico me lembrando daquelas orquestras que durante o dia 31 de dezembro e 1.º de janeiro ficavam ecoando o tempo todo lá em casa. Um fundo musical saboroso e relaxante para amenizar aquela loucura que é preparar uma festa. Ele era o nosso disc-jockey (sei lá se é assim que se escreve isso, tão fora de moda).
Ganhei muito. Acho que este foi o ano em que mais acumulei amigos perfeitos e também o ano em que fiz mais besteiras. Gosto de fazer besteiras, algumas. Nesse ano, ultrapassei todos os limites. Neste ano, eu conquistei até uns fãs!!!! Chique, muito chique ou, como diria meu amigo Jôka, bacanérrimo. E ainda ganhei um presente especial, que vem aos pedaços, dia-a-dia e vai se acumulando maravilhosamente em mim.
Contudo, desde ontem, ela vem me cercando, como um exército inimigo. E, se nessas horas não há ninguém com quem falar, como aconteceu hoje, fico indefesa demais e ela me ataca.
Já sei que amanhã será pior, estarei mais solitária ainda e não haverá festa nenhuma dentro de mim.
Tentei recorrer ao meu jargão "amanhã é outro dia". Mas, não está funcionando porque amanhã será um péssimo dia, com ela, a tristeza.

5 comentários:

sabios de siao disse...

Feliz ano novo, dulcíssima Saramar!
Sucesso e felicidade!
Um forte abraço!

Santa disse...

Receita de Ano Novo - Carlos Drummond de Andrade

RECEITA DE ANO NOVO

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

FELIZ 2006, Santa

Nemerson Lavoura disse...

Saramar,
Eu, infelizmente, sou daqueles que ficam um pouco deprimidos no Natal e Ano Novo. Não é nenhuma depressão profundo, é apenas um daqueles momentos em que a gente faz um balanço de vida... e eu sempre acho que está faltando alguma coisa, e nunca sei o que é.
Você, com a morte de uma pessoa tão querida quanto é um pai, tem todos os motivos para se sentir um pouco "down".
A vida é sempre muito difícil. Eu, pelo menos, penso assim. Mas existem suas compensações...
Espero do fundo do coração que em 2006 haja muito mais "compensações" do que "coisas difíceis" na sua vida.
Um grande abraço e Feliz 2006 para você e toda a sua família!

Jôka P. disse...

Eu vim dar um beijo em vocês e tomar aquele suquinho de cajú Maguary que tá na sua geladeira.
Agora só volto ano que vem.
Amanhã, né ?
Um ano novo bacana.
Ou melhor,
BACANÉRRIMO !
:D
Bjs,
JÔKA P.

Alexandre, The Great disse...

Saramar, não repudie a tristeza. Ela tem que existir, ela é o contraponto da alegria. No balanço do ano que se finda ela tem que ter sido menos frequente que as alegrias, pois assim vc saberá que foi feliz. Se, ao contrário, ela foi mais frequente, ou pior, mais intensa, aí o seu ano terá sido infeliz. Procure então "esvaziar" sua Caixa de Pandora e deixe a tristeza, a raiva, a inveja, a ingratidão de fora, com certeza a "mala" ficará mais leve e a viagem será mais prazerosa.
Carinhosamente,