quinta-feira, abril 27, 2006

Por acaso


Queria escrever coisas alegres e contar dos meus risos, mas como? Ninguém me manda nem umas margaridas baratinhas. Mas, flores eu as invento para mim, como presentes.
Queria ser intelectual e contar sobre umas 300 dúvidas existenciais chiques que deixassem todos boquiabertos, mas nem sei o que são dúvidas existenciais.
Eu só sei o que ser sozinha e só ter eu mesma para dividir o meu amor tão inútil. Eu só sei o que é perceber, quase por acaso, que há enganos e que eles doem.
Escuros, claro-escuros, é assim a vida.
Eu queria ser poeta e encantar com minhas contradições em rimas ricas, em decassílabos, talvez. Hoje aprendi que poesia em decassílabos é, na verdade, uma música disfarçada. E fui ler o poeta em voz alta para ficar alegre com essas músicas que ele escreve e me inundar. Não adiantou nada, porque me perdi nas palavras e esqueci a forma. Não posso com músicas, não posso com nada.
Queria me esconder no mato ou virar criança.
Queria tanto, tantas coisas eu queria só para disfarçar esse meu querer impossível.
E nada é, nada será.
Tudo continua como sempre, sem margaridas pobres, sem dúvidas, sem rimas, sem melodia disfarçada de poema, sem mato, sem ser criança.
Sem você, tudo é nada.

Imagem: Patton Wilson

27 comentários:

spersivo disse...

Saramar,
Você é uma fingidora. Claro que por isto mesmo uma poeta que nem precisa de decassílabos e chovem rosas e flores para você que sempre planta amor. Bjao. S

spersivo disse...

Saramar,
Você é uma fingidora. Claro que por isto mesmo uma poeta que nem precisa de decassílabos e chovem rosas e flores para você que sempre planta amor. Bjao. S

Thomaz Magalhães disse...

Saramar, você escreve muito bonito. Olhe, sobre dúvidas existenciais concluí serem aquelas que duvido existirem. Tem dia que estou melhor, considere.

soslayo disse...

Saramar:

Queria escrever versos de Amor
para assim me alegrar
decassílabas ou sílaba só
para que o amor de mim tenha dó.

Espalha flores por onde andares
neste turbilhão sem nexo
colhe-lhe o nectar deste andar complexo.

Bonita a tua escrita de pessoa não acomodada e sem complexos. Um beijinho.

Moacir Caetano disse...

belíssimo texto...
triste, mas nem por isso menos belo!
beijos!!!!!!

Ritoca disse...

Oi Saramar!

Que lindo seu post...poesia pura!
Se eu fosse vc, guardava estes textos para fazer um livro.

Uma quinta especial para vc.

Beijos,

Rita

DO disse...

Vc é brincalhona,Saramar,hehehe...
Não precisa de absolutamente mais nada pra mandar o recado.
Muito bem dado por sinal.
Beijos!

Magui disse...

Vc nao precisa ser nada a mais do que e. Eu gosto. Inteligente e sensivel. Agora, quem e essa pessoa que faz o tudo ser nada? Eu hem!!!
http://somagui.zip.net

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Também gosto de margaridas...

Beijos do *CC*

+ Kazzx + disse...

Cara SAramar

Se tivermos a nós mesmos já é uma vitoria...

Bjs

célia musilli disse...

acredite, vc é um pouco de tudo isso aí...cada um de nós tem várias "pessoas" dentro de si. um beijo e obrigada pela visita ao sensivelldesafio.

B R E N A disse...

Oi, Saramar!
Você tem dois blogs?
Ou é outra pessoa???
Beijos

Jôka P. disse...

Dona Saramar, tô mandando umas Margarinas baratinhas pra senhora, tá ! O pão vai junto.
bj!

Taia disse...

Ai, vou ali chorar depois eu volto...

wander disse...

Amiga que lindo poema,fiquei maravilhado com tanto querer,tanto desejo...olha,sou apaixonado por poesia e essa ficou no meu coração.

Vinicius Factum disse...

Lembrei de uma poesia que diz assim: "Não sou alegre nem sou triste, sou poeta... irmão das coisas fugidias..." Saramar, tá vendo, vc me inspirou! Daqui ha pouco lembro de quem é esse verso. Um beijo!

Carlos Ponte disse...

Olá Saramar
Queria dizer qualquer coisa mas vejo que os anteriores dezasseis já disseram tudo por mim. Por isso
Um abraço
Carlos Ponte

Rose disse...

Querida Saramar,

Margaridas, rosas, orquídeas,

você merece todas as flores, da simples à nobre.

Pelo texto maravilhoso e por vc existir.

beijos

manoel donini disse...

Tudo muito triste mas " por acaso " com tanta beleza !

Márcia(clarinha) disse...

Lindinha,
não seja por isso, imagino que sua vida agora esta repleta não só de margaridas mas todas as flores dos jardins..
lindos dias, bom feriadão!
beijossssssss

Anônimo disse...

Que texto encantador. Queria um blog assim, feminino, embora eu seja homem. Visite meu blog: liberdadedeimprensa.zip.net

Aldo Nascimento disse...

Saramar, sou liberdadedeimprensa.zip.net e digo-lhe o seguinte:

se não há flores baratinhas, fiquemos com o chão, é mais seguro.

Caiozito disse...

Bonito blog. E foi uma honra sua visita ao dublês. Escolher a solidão é gesto muito nobre.

Bruna disse...

Nossa, simplesmente amei o texto. Mesmo que triste, é um texto lindo!!

Beijos

Ceci disse...

Sara,ar. o nada parece ser o tudo, com essa poesia transbordando em seu texto. Feliz semana, feliz Maio. Um abraço

Ceci disse...

Erro de digitação, eu quis dizer Saramar... rsrsrsrsrs

Zeca disse...




Abrindo as janelas de Saramar.



Também não recebo margaridas,

minhas flores preferidas.

Fecho os olhos e imagino-as,

lindas, num enorme jardim.

Também divido comigo, sòzinho,

meu amor e minhas dores.

Arrisco poesias,

músicas, desafino.

Apenas sei viver sòzinho,

esta vida em claro-escuros.