terça-feira, abril 18, 2006

Teatro

Essa ferida, meu bem,
às vezes não sara nunca
às vezes sara amanhã.
C. D. de Andrade

Ando por aí, solitária na vida e me entrego.
Meu coração é como uma criança em busca de um brinquedo.
Julgo encontrá-lo em todos, acredito que é aquele o brinquedo
que me encantará e quero tomá-lo, guardá-lo em mim e para mim.
E sempre é névoa.
E sempre é espetáculo, de circo, no início. Depois drama, monólogo, nada.
Cega de sede, crio miragens, chego a tocá-las em sonhos e mais nada.
Às vezes, raios de luz me aquecem, inconstantes e belos.
E, se vão, como sempre vãos.

Imagem: Thiago Rodrigues

11 comentários:

B R E N A disse...

Ei, Saramar.
Lindo texto. Estava com saudades de vir aqui...
Beijos

Dora disse...

Saramar! Vejo seu nome no Antoniel...Deu-me curiosidade de conhecer você.
Pareceu-me, pelo seu texto, uma pessoa cheia de vida interior, em busca de si mesma...
Gostei de ler você, e me senti como diante de uma terna "confissão" e de uma queixa difusa e melancólica.
Beijo você.
Dora

Ney Alexandre disse...

Drumond é um dos poucos poetas que curto. Sobre as coisas serem em vão... seria bom se não fossem, não é? Mas é isso aí, a vida é um grande pauco e nós, os fantoches.
Bjos, Ney

zero disse...

;]

interessante...
ainda mais pelo texto acima do lado da foto!

soslayo disse...

Saramar:

Amiga a vida é um palco
e o amor a passarela
no Teatro finge-se a vida
sem no entanto passar por ela.

Continuemos a peça porque esta é Bela.

Um beijinho.

Márcia(clarinha) disse...

Mas nossa vida é um teatro,representamos para nós e por ventura para alguem que nos queira aplaudir.Lindas palavras!!Ótima noite,beijossssssss

Moita disse...

Sarita

Raios de luz nunca são vãos.

Raios de luz surgem do amor e o amor alumia até buraco negro.

mil cheiros

Vera Lúcia disse...

Saramar: estamos arrasados(as)...Tristes e sem rumo. Precisamos encontrar forças. Não por quanto tempo vou suportar isso tudo. :-) bjs

manoel donini disse...

Se assim não fosse, como uma alma inteligente poderia criar, fabricar, produzir algo assim tão belo?

TERE disse...

Lindo poema! Lindo e triste como todos os bons poemas. Nunca li um poema lindo e alegre...
Andei por aí. Gostei do blog e de você. Vou adicioná-la.
Li "your complete profile". Eu também gosto de Piazolla e sou (desculpe a falta de modéstia) phD em MPB - até rimou! Esta semana, faço uma homenagem a um dos grandes Mestres da nossa música. Apareça lá.
Um beijo.

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Oi!

Muito bom!