quarta-feira, novembro 07, 2007

Hora nossa que vem, apesar do vento

Da sua hora e da minha,
sei do vento que leva,
como se nos cortasse,
como se separasse o meu existir e o seu.
Mesmo só, tantas vezes triste,
espero,
porque sei das horas e sei que existe
em toda solidão de quem longe vive,
o sonho, o dia novo,
dia de construir uma hora
única, livre,
de refazer o tamanho do mundo
e rir do vento.

(nos seus olhos enxergo
o outro universo).


Imagem: Adolf von Menzel

16 comentários:

Claudia Pit disse...

Oi, vim retribuir e agradecer a visita e me encantei com teu espaço... Prometo voltar mais vezes,ok
bjs
Cláudia

Nélia M. Pereira disse...

CONVITE

A Câmara Municipal de Lousada e a Negra Tinta Editorial
tem o grato prazer de o/a convidar para o lançamento do Livro

Pulsa o Impulso de
Artur Moura Queirós
wwwnolimiar.blogspot.com

com Prefácio de
António Costa Moura,
Fotografia de
Júlio Sousa e Vítor Ribeiro
e Conceito Gráfico de
Fausto Rodrigues

10 Novembro 2007
21h30 |
Biblioteca Municipal de Lousada

Mecenas
da Edição:

AUDI CENTRAL TECH
LABMO

www.editorialnegratinta.blogspot.com

Zé Carlos disse...

Sara, a menina que sabe de tudo.
Obrigadão pelas visitas... vc passando lá em casa fica o perfume do seu encanto.
Bjs do ZC

Edna Federico disse...

Com dizem: a certa vai chegar...se não chegou ainda, é por que não era pra ser.
Beijo

Renata disse...

AMEI!!!! Vai chegar a nossa hora, tenho certeza!!!!

bjos, querida!

Marco disse...

Saramar do céu! Você, definitivamente, não existe!
Ah, amiga... Puxa...
O que dizer, além de obrigado e que Deus te recompense por ser tão carinhosa com seus amigos?
Agora quero saber quando será a sua vez de chegar ao seu primeiro livro? Este poema, por exemplo, nada fica a dever a Fernando Pessoa (e estou sendo absolutamente sincero quando digo isso...). Além de excepcionalmente talentosa, você tem um coração de diamante, amiguinha!
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Mar Arável disse...

BELO

O FUTURO ESTÁ AO ALCANCE DOS OUSADOS

O Árabe disse...

Talvez por isto, as mais belas sejam as horas do sonho... é nelas que podemos refazer o tamanho do mundo e rir do vento. Belo poema!

Claudia Perotti disse...

Ah mulher inspirada que nos encanta com tudo que escreve.

Sinto-me no teu texto!

Beijinhosssss

Janaina de Almeida disse...

Vim aqui retribuir e agradecer avista, já te conhecia de vista.Gostei do seu espaço, posso te linkar?
Um abraço.

Caulus disse...

Muito bom Saramar. Bom mesmo. Bom fim de semana

Jota Effe Esse disse...

Que gostoso é ler esse poema e "refazer o tamanho do mundo, e rir do vento", que é nosso estafeta. Meu beijão e bom fim de senana.

Moura ao Luar disse...

Acompanho-te...

A Gata por um Fio disse...

refazer o tamanho do mundo...realmente, o mundo está cada vez menor, as distâncias menos reais...bjaum...

Marilac disse...

Saramar,
Que lindo poema!!
Gostei especialmente desses versos:
"porque sei das horas e sei que existe
em toda solidão de quem longe vive,
o sonho"

Eu sonho com a hora em que estarei novamente nos braços do meu amor..

bjs
Marilac

suruka disse...

Olá

Bom muito bom mesmo.

Que prazer o chegar da hora
que nos faz sentir o roer da alma.