domingo, dezembro 16, 2007

Flávia, a flor e sua árvore


Blogagem coletiva

Há uma flor profundamente adormecida
e a beleza de sua árvore.
Como é a sina das árvores, esta vela
em força, também em dor.
Nem os ventos, os ventos frios dos dias,
que arrancam lamentos entre os ramos e as folhas,
perturbam a linda flor, em seu sono.
Qual princesa dorme a flor,
dos contos de fada, personagem.
Porém nenhum príncipe virá
com seu beijo de acordar
e nem o espera a princesa em flor.
A árvore, cuidadosa, vela.
Sua seiva milagrosa mantém a vida
da linda flor e seu sorriso raro.
A árvore espera que o vento se vá,
ainda que fique a dor.
Se não há príncipe a caminho,
há dragão da injustiça
a ser combatido todos os dias,
único capaz de vergar a árvore e
deixar solta do ninho, a flor.

Conheça aqui, a história de Flávia, a flor.

18 comentários:

maristela disse...

Emocionante. Bj

Odele Souza disse...

Saramar,

Que lindo...
Quero voltar depois para ler com calma.

Obrigada por sua participação na Blogagem Coletiva de Flavia. Obrigada por este post.

Fique com nosso carinho.

adelaide amorim disse...

Saramar, vou postar seu poema na blogagem de hoje, viu?
Um beijo

Daniela Mann disse...

Impossível ficar indiferente a este testemunho!

Querida amiga,
Estou preste a terminar o meu curso, só falta entregar dois trabalhos, mas o que me tem impossibilitado de uma dedicação maior à blogoesfera, tem sido a necessidade de repouso absoluto para a minha Julieta não nascer mais cedo! Ela anda apressada mas deve aguentar até Janeiro!
Não imagina como tenho padecido de dores e azia... um horror! Mas, depois valerá a pena!
Um grande abraço e muito obrigada por todo o carinho,
Daniela

Sombra do Sol disse...

Olá bom dia, participando da blogagem coletiva tive oportunidade de conhecer sua página, parabéns! Em momentos assim onde a impunidade infelizmente opera, temos que aprender amar a todos, indistintamente, para conseguir encontrar a luz que tanto desejamos. Temos que procurar não distinguir o sábio do ignorante, o rico do pobre, quando se trata de ajudar. Estamos todos nós empenhados nesse propósito para podermos levar aos tristes a consolação, aos que lutam o incentivo da compreensão e o carinho. Espero que consigamos nosso objetivo que é JUSTIÇA!! Abraços fraternos do amigo.
http://sombradosol.zip.net/

Aline Silva Dexheimer disse...

Muito bonito, tanto o blog quanto o texto.
Voltarei.
Beijos,Aline

Meiroca disse...

Com certeza a blogagem foi um sucesso. Agora é sentar e aguardar.
bjs

Yvonne disse...

Saramar, essa história é muito triste. Beijocas

Du disse...

Que lindo! Parabéns!

Lara Lírica disse...

Olá Saramar. Espero que esteja tudo bem com você. Magnífico o poema para a Flávia. Passo por aqui para desejar a você boas festas, um 2008 com muita coisa boa e também para agradecer a sua presença no meu blog em 2007. Um abraço!

Bill disse...

Melhor homenagem, não pode haver!
Bjuuuuussssssss!

Cristiane disse...

Saramar querida,

Como sempre, belísimo! Bela participação na blogagem de Flávia!

Hoje vim em especial para desejar a você e a toda a sua família, um Feiz & Abençoado Natal, repelto de paz, saúde e amor!
Beijos carinhosos, Cris

Claudia Perotti disse...

Gostei imenso dessa blogagem coletiva!

Aproveito para desejar-lhe um Feliz Natal e um 2008 muito mais inspirador!

Beijinhosssssssssssssss

Anônimo disse...

Parabéns saramar pea divulgação e pelo belo e triste poema.O único consolo é que anjos como a Flávia têm neste planeta uma missão especial, que é irmanar todos na dor e na certeza de que a energia que brota desta união é mais forte do que a banalidade da existência da ausência de amor, fraternidade e solidariedade. tenho sempre vindo ao seu espaço, mas não consigo mais postar comentários como antes , porisso vou fazê-lo como anônimo. Bjs,maria Claudete(Blog Uol)

Sombra do Sol disse...

Olá boa noite, passando para desejar um Feliz Natal!! Pena que hoje em dia perdeu um pouco o significado do Natal, eu vejo o Natal como um momento cada vez menos dedicado ao (re)nascimento, e cada vez mais puramente competitivo, no sentido comercial. O Natal é hoje, em muitas ocasiões, apenas um festival de trocas materiais e, por isso, cada vez mais uma cerimônia de continuidade, e não de pausa. Poucos são os que realmente renascem no Natal: o ritmo robótico a que nós próprios reduzimos a nossa existência, não bonifica a imaginação, mas valoriza quem contribui para o ciclo. Mas ainda a tempo de ver um raio de luz nascendo no horizonte de nossas vidas, um fio de esperança apontando o futuro. Ainda há um resto de fé e este é o tempo para multiplicá-lo. Porque o Natal é renascimento, é o encontro da paz, é busca do amor: é a comunhão com Deus. É a ternura de um menino nascendo, é um sentimento maior que ainda podemos exercitar. Tenha um Natal repleto de muita paz, saúde e luz, e que em 2008 possamos realizar todos nossos sonhos. Abraços fraternos do amigo.
http://sombradosol.zip.net/

Odele Souza disse...

Saramar,
Voltei para reler seu lindo texto sobre Flavia. Emocionante. Nesta sexta-feira estarei fazendo um post de agradecimento pela Blogagem. Sua visita será um prazer.
FELIZ NATAL E EXCELENTE 2008.

Um abraço.

Marco disse...

Tenho certeza de que nenhum post foi tão conciso, emocionante e amplo como este. Você não tem jeito, mulé! Vai ser genial assim lá em Goiânia!
Carpe Diem.

Leila disse...

Saramar, querida,

Belo texto!
Esperamos todos que a justiça seja feita.
A coragem de Odele merece respeito. Ela é determinada,forte e vencerá.
Tenho muita admiração por mulheres como Odele.

Mil abraços

Leila Jalul