quinta-feira, fevereiro 14, 2008

Ilucidez

O amor jaz cansado
em sua caixa de cores desfeitas.
À comoção, por mais breve,
-um reflexo de alguma luz,
a música,
ou um jeito de enlaçar -
mais se quer esmorecer.

E definha e volta a viver.

Num minuto de ilucidez
contamina com seu perfume
todos os desiludidos de amar.

...Um vento,
é só um vento
e parte.

Cansado, o amor não quer se prender.

Imagem: Rosalba Carriera

15 comentários:

Odele Souza disse...

Por vezes o que mais se quer é que este amor se prenda, que fique e para sempre permaneça. mas por vezes o amor se cansa.

Sueli disse...

e se o amor se cansar mesmo ... o que será de nós, minha poeta?... Beijo!

..::Andressa::.. disse...

o amor nas suas mãos se transforma! lindo!!

bom final de semana

bjs

Vera disse...

Mais um belo poema!
Minha querida Saramar, tens um prémio no meu blog.

Beijo com carinho

cilene disse...

Sabe Saramar, o amor cansa mesmo e as vezes acaba amiga, mas meu carinho por vc nao vai acabar.

Grace Olsson disse...

Querida SaRAMAR, nunca disse em lugar algum, mas um homem só conseguiu me fazer amar em toda a sua plenitude, quando aos trancos e barrancos descobriu que para ter m eu amor ele precisava URGENTEMENTE APRENDER A NÃO ME AMORDAÇAR, PRENDER.E FOI ME DEIXANDO VOAR FEITO BORBOLETAS QUE ELE SEMPRE ME TEM.
BEIJOS E DIAS FELIZES

Marco disse...

Sim, amiga super poeta, o amor, em um instante de ilucidez contamina os desiludidos que voltam a sonhar sonhos bons. Você é o meu prèmio Nobel de poesia, não tem jeito. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Claudinha disse...

Quando o amor se cansa... O que se pode esperar...
Lindo poema menina! Beijos!

Loba disse...

"E definha e volta a viver". assim é o amor. na sua caixa de cores, ele vive e revive. cabe-nos cuidar das cores!
muito lindo seu poema, poeta! muito lindo!
beijos

Bichodeconta disse...

Há que fazer recuscitar o amor.. Vida é amor, e é necessário viver para poder amar..Um beijinho..

Torre Mágica disse...

O seu blog é simplesmente ma-ra-vi-lho-so!... Estou encantado com sua sensibilidade e com seu humor. Parabéns. Meu nome é Pedro Antônio e, recentemente, lancei um livro infanto-juvenil: "Metade é verdade, o resto é invenção" (Editora Saraiva/Formato). Criei também um blog, mas tenho vergonha de lhe passar o endereço (risos!). Afinal, o meu, perto do seu, é nada! (ahahahá). Só lhe peço uma coisa: jamais deixe de publicar esses textos lindos neste blog. Quero voltar por aqui muitas vezes. Meu e-mail é pedroantonio01@hotmail.com . Abração.

adelaide amorim disse...

Pois é, o amor é assim... Mas volta, sempre volta ;)
Beijo grande e carinho.

O Puma disse...

Não se deve prender o amor

Mário disse...

O amor passeia, procura não se prender, mas, eu creio, minha amiga, que quando o encontramos ele acaba ficando conosco e se acostuma com a gente.

Marlon R. J. V. dos Santos disse...

Espero que o amor se canse falsilmente, pois assim ele não se prenda, seje livre e decorra nos versos e palavras soltas de nossa língua