quinta-feira, maio 01, 2008

Cego amor

“Cega-me com o brilho de teus olhos
Que cega ando eu há muito por te amar.”
Florbela Espanca


Eu te amo e sigo imaginária,
sem melancolias ou sobressaltos.
Sei do meu amor à sombra de ti,
que nada sentes por não saber de mim.
Calma e só, eu te amo, sem perturbar
as manhãs de tua vida ou tua solidão
solidamente construída,
noite a noite em labor de artesão.

Ainda que não pressintas,
meu amor feito de esperança e perfume,
de miragem e fantasia
meu amor é do feitio do dia,
diverso de ontem e constante,
como se pudesse florescer em ti,
estando em mim profundamente plantado.

Sigo te amando,
insuspeito pássaro entre nuvens,
sem perturbar o brando intumescer das águas
ou o líquido precipitar.
Sigo só, em sede, em sonho
de um súbito incêndio a queimar tuas cortinas
e de tua aberta voz docemente debruçada
sobre o silêncio do meu cego amor.

Imagem: Nicoletta

19 comentários:

Janaina de Almeida disse...

O amor é cego, surdo mudo, segue os instintos de nosso coração.deve ser por isso que cometemos alguns deslizes pela pessoa amada.
Porém é bom ter cautela, mesmo que difícil.
Um forte abraço e obrigada pelas belas palavras, beijos.

Hermínia Nadais disse...

O verdadeiro cego... é o que não quer ver!
A cegueira do amor, ainda que possa doer... traz felicidade!
Sê feliz.
Bjitos, Hermínia

maria claudete disse...

quanta expressividade no silêncio deste tão cego amor.... nem tão silencioso , nem tão cego pois soa bem forte e bem visivel através dos teus versos. Abraços, Claudete

elisabetecunha disse...

Saramar

Simplesmente lindooooooooo!

Mar Arável disse...

Até para amar é preciso ser competente porque só a paixão é cega.
Apreciei a sua entrega

Claudinha disse...

Olá Saramar, quanto tempo!
Senti falta daqui!
Lindo poema, eu não sei amar incógnita e esperneio e brigo e luto até que o amor venha, ou vá embora de vez. Ser cega, nunca tinha pensado nisto,mas o próprio amor é cego... Um beijão!

Bichodeconta disse...

Poema cheio de emoção, mais uma vez fica de parabéns .. Gosto de passar e parar neste lugar onde se escreve com sensibilidade.. Bom final de semana, voltarei aqui sempre que o tempo me permitir..beijinho, ell

Helena disse...

Amei,querida poetisa.
Bj.

wander disse...

Lindo!!!
Perfeito sentimento,confesso que fiquei inspirado...

obs; Não parti,só dispercei...saudades.

Angela Ursa disse...

Saramar, o amor é cego porque os olhos dele são o coração :)) Beijos floridos da Ursa

Luci Lacey disse...

Saramar

Ja tive um amor assim, que me cegou.

Eh bom e doloroso tambem.

Beijinhos e boa semana

Sonia Regly disse...

sARAMAR,
FALAR DE AMOR É ALGO TÃO MARAVILHOSOS E SUBLIME QUE FICAMOS CONSTRANGIDOS. LINDO POST!!! aMEI!!! VIM AGRADECER A DOCE VISITA E DIZER QUE FIQUEI MUITO HONRADA E FELIZ!!! VOLTE SEMPRE, POIS ME DÁS MUITA ALEGRIA.bEIJINHO.

Dora disse...

Não é um amor cego. É um amor calmo, que se contenta em ser, talvez, forma de amar no "intransitivo". Nunca perde a "criatura que ama". O amoroso é sempre ganhador. Não importa se o objeto desse amor é inatingível ou ausente. O amor sempre produzirá riqueza em seu portador. Haverá sempre a grandeza de amar gratuitamente.
Belo, belo poema!
Que eu, egoísta, traduzi prá mim!
Abraço apertado.
Dora

Mimi disse...

Saramar, talvez todos os outros sentidos se revelem melhor dessa forma...

Ai, que lindo!

beijo

Jacinta disse...

Amor cego, amor incondicional, acho que já passei dessa fase. Agora quero o amor exigente, possível, que preenche.
Mulher, não contente em ficar por aqui, dou uma passadinha no Falares e vejo que você é uma autoridade na arte da palavra. Devagarinho vou te conhecendo.
Um abraço
Jacinta

Dauri Batisti disse...

Silenciosamente venho frequentando seu espaço. Deixo hoje um pequeno comentário. Tudo aqui é bonito. Obrigado pela visita ao essapalavra.

Beijo

ROSÁCEA disse...

Saramar

Seu blog é lindo. Abrindo Janelas através da escrita para sentimentos e emoções .
Seus poemas muito belos.

Parabéns

Rosacea

Juliana Caribé disse...

Que poema lindo! Estou encantada...

Beijos.

Alessandra disse...

linda imagem! Vais desfiando as variações, sensações, vivências do amor na sua poética, sempre com beleza e coragem!
Beijo grande...