terça-feira, fevereiro 07, 2006

Saudades


Hoje, o primeiro email que recebi, foi do meu amigo Wilton, uma pessoa cuja sensibilidade só é menor que seu coração. Ele vive lá na Quitanda (http://quitandadochaves.blogspot.com/).

As lembranças que despertou foram como flores caindo em meu coração e sorri, sozinha e alegre.
A juventude, minha juventude, com todas as proibições e bobagens, foi uma escorrer de coisinhas felizes, de dias brilhando e esperanças acenando o tempo todo, ao som de Beatles e Roberto Carlos.
Hoje, olho para aquela menina que fui e, acredite, gosto dela.
Hoje, olho para a mulher que sou e gosto dela também.
Gosto da vida que tive e da que tenho, apesar de algumas melancolias que aparecem sem avisar.

8 comentários:

Moita disse...

Sara

Essa palavra saudades,
eu ouço desde criança.
Saudade de um amor ausente,
não é saudade é lembrança.
Saudade só é saudade
quando morre a esperança.

Pinto do Monteiro

Wilton disse...

Olá!
Querida Saramar, agradeço muito por citar o meu blog.Homenagem como a sua deixa o meu coração extremamente sensibilizado. A leitura do texto sobre os Anos 60, é um retôrno maravilhoso ao passado,é o momento de se olhar pelo retrovisor e ir de encontro aos momentos significativos desta década.Para mim, é uma grande satisfação retornar e passear pelo período, sendo conduzido pelo fio da memória e pela janela da saudade. Muito obrigado pela visita e a manifestação de carinho registrada neste espaço. Beijos e um forte abraço.

Ritoca disse...

Oi Saramar!

Eu achei lindo este seu post.

É por essas e outras que a gente fica fã deste espaço.

Beijocas e uma ótima semana.

Ritoca

Poeta da Noite disse...

Olá Saramar

Como é bom recordar, não é?
É gratificante quando nós recordamos e ao recordarmos,continuamos a gostar de nós.Dessa forma permita-me que lhe deixe uma pequena mensagem,como se fosse uma homenagem.
De nada serve chorar
pelo amor que se tem
sorri e ama na mesma
mesmo sem amar ninguém.

bell disse...

Melancolias existem e sempre vão existir em nossas vidas Sara...
a droga, é qnd elas se grudam em nos como carrapatos...

bjs*

Taia disse...

Eu, como vc gosto da vida que levo, da Renata que fui na meninice e da Renata que estou aprendendo a ser.
Muitos erros, desistencias e acertos.
As vezes choro e quase sempre sorrio.
Vou dizer a ti que suas palavras são lindas e me deram uma luz.
Só eu posso ver!
Obrigada!
Beijos!

Santa disse...

Saramar, vc parece vinho da melhor safra. A cada dia melhor!!!
Bjs

Pedro Nobre disse...

Lindo o teu post... e temos que aceitar as mudanças na nossa vida...