quinta-feira, maio 04, 2006

Penélope


Entreguei-me inteira a esse amor.
Sangue, ossos e sonhos, reféns de seus agrados.
Entreguei-me inteira e você se foi,
prometendo voltar, um dia, talvez, quem sabe.
Nesses longos dias em que espero sua vinda, preparo tramas de desejos e palavras aéreas, sem sentido quase, de tanta saudade.
À sua espera, as horas são fios eternos do tear de Penélope e se mantêm quase imóveis à minha volta, cobrindo a vida inteira, longos, longos que são.
Sua imagem colore o tempo, o meu tempo parado, aguardando que você chegue e a vida desatine a viver em nós, como os filhos dela mesma que nunca desistem e nascem e renascem.
Espero, com as mãos e a alma cálidas, com os olhos claros da sua lembrança, com flores, pecados por cometer e vinho nas macias taças que você costumava usar.
Espero.

Imagem: Klaus Mittendorf

10 comentários:

Jôka P. disse...

Sabe a Penélope charmosa ?
Então.
É você.


Bjôkas

+ Kazzx + disse...

Cara Saramar,

Estive aqui, li e fiquei feliz..

Bjs

Rubo Jünger Medina disse...

Blogueiro(a), o meu conto - O CAVALEIRO DAS NUVENS está postado no Comunidade do Blog. Você já conhece a CDB? Eu explico: gerenciado pela RH Rosilene, o blog vem desenvolvendo um trabalho de valorização dos blogueiros, os quais dispõem de espaço para publicações de seus trabalhos. Lá existem também links por regiões, selos de destaques, prêmio para o post mais comentado do mês e prêmio para o Melhor Comentário. Conto com a sua participação, prestigiando o conto. Assim, você estará concorrendo também ao prêmio Melhor Comentário.
Viaje com as emoções de O CAVALEIRO DAS NUVENS.
Acesse http://comunidadedoblog.zip.net

Lúcia disse...

Hum, belo texto. Coisas de quem está apaixonada! Tudo de bom!

Jonas Prochownik disse...

Saramar, passei pra te desejar um otimo fim de semana, bjs. Jonas.

Vera Lúcia disse...

Uau!Gostei!

guto leite disse...

Fala ai Saramar ... se é coisa de mulher apaixonada eu não sei ... embora apresente diversos sintomas ... só posso dizer
que é muito bom te ver assim ... parece que a primavera resolveu chegar fora de época ...um beijo pra lá de grande do amigo carioca que muito bem lhe quer ... guto leite.

Anônimo disse...

A moça da historia tem que ter ele de volta sim, e sentir novamente a vida palpitar neles dois, que esta imagem que ela ( não sei quem) guarda tome uma forma maravilhosa de vida novamente.
Uma linda divagação, gostosa de ler.
Parabens, viva e sensivel Saramar.

manoel donini disse...

O anonimo que acabou de comentar sou eu, voltei porque não era a intenção, ficar anonimo

Zeca disse...

Saramar,

lindo e sensível poema sobre a eterna espera, tão bem representada por Penélope que tecia sua saudade durante o dia e a desmanchava com seus sonhos à noite. Um brinde ao reencontro do amor.

Beijos.