segunda-feira, dezembro 11, 2006

Insônia (I)

O “sono revigorante”,
meu sono revigorante anda por aí,
perdido em alguma esquina
ou em leito mais feliz.
Vejo fundo na noite.
Réstias e coros de noturnas atrizes e sua solidão disfarçada de batom.
Ouço os cães vadios a cantar sua música, em perpétua fome, mas me
cansei de luas e estrelas. Cansei-me de suas conversas azuis.
A madrugada, um elástico ou talvez muro impedindo o sol,
e minha cabeça, um hipódromo em dia de grande prêmio.
Pelo menos, vejo todas as horas cinzentas
e a chegada do eterno viajante, em colorido espalhafato.
No entanto, mesmo sempre e antes desperta, não posso, como Joanna, cantar para o meu amor, e repetir
acorda, acorda, d'accord, d'accord...

Imagem: Alphonse Mucha

23 comentários:

Tina disse...

Lindo post, muito bom seu texto.

beijos querida, boa semana!

Lila disse...

Oi Saramar, vim retibuir sua visita!
lindo texto pra iniciar a semana...
beijos

Marco Santos disse...

Saramar, querida...
Só você mesmo, com seu talento fulgurante, para transformar algo chato como insônia em poema de filigranas d'ouro. Beijos procê.

Bill disse...

Hummm que delicia de post para começar a semana...
Belas palavras...
Por onde anda esse sono nômade, que vez ou outra desaparece...

Beijo dona moça e otima semana

:**

Santa disse...

Que inspiração em plena insônia!! Bjs

Mônica Montone disse...

Hummmm, temos coisas em comum: amo a música Joana francesa e também não durmo, rs*

beijos, querida e obrigada pela visita ao Fina Flor! Volte sempre que quiser ;o)

Boa semana!

MM

Anônimo disse...

Bonito, Saramar
D´accord,d´accord, da solidão que comanda a vida, disfarçada de amores pelas insônias...
Um beojão
OPaulo

Anônimo disse...

Insónia dolorosa a tua mas retratada numa escrita sublime!

Consegues sempre surpreender-me. Cada texto parece superar o anterior em termos de beleza! É incrível!

Beijo grande escritora maravilhosa.

Vera Fróes disse...

Como vc adivinhou? Essa noite a insônia me pegou e não largou mais(putz!), quando vi já o dia já estava amanhecendo. Para distrair, vi alguns filmes.

Ritoca disse...

Oi Saramar!

Não leve a mal minha ausência, ando sem animação de comentar nos blogs, tenho a sensação de não ter o que dizer. Passei uma fase bem dificil e ando tentando evitar de ficar deprê e por isso me forço a escrever no Tudo Azul.

O tema deste post tem tudo a ver comigo hoje, dormi pouco, acordei no meio da madruga e não consegui dormir mais.

Sempre venho aqui e embora não comente, me enebrio com seus lindos textos.

Tenha uma linda semana.

Beijocas

Lino disse...

Enquanto isso, minha amiga, eu durmo profundamente. Nada de sono leve, nada de insônia.
Mas sei o que é tê-la. Felizmente, o que ficou só na memória.

Marcos disse...

Sei lá... Achei esse escrito tão de acordo com o perfil ali de cima...

Marcelo disse...

Já havia lido comentários seus lá no meu espaço... Resisti um pouco a te visitar... Resisti só por ter gostado do que li... Hoje, finalmente, acabei vindo. Li dezembro, li novembro e outubro e setembro também... deixei um tanto pra depois. Adorei de tudo um pouco... Não queria, mas me apaixonei por seus textos... Volto de um pouco a quase sempre...

elisabete cunha disse...

Saramar: Que lindo!!!!
MARAVILHOSO!

celina disse...

ah se todas as insonias fossem assim inspiradas...
prazer em te ler depois de uma noite mal dormida ;)

celina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Simone disse...

Belíssimo!

Um Poema disse...

Bonita reflexão.
Um abraço

marconi leal disse...

"Acorda, d'accord"... Estou escutando a música aqui, umas das minhas preferidas. Beijos.

Zeca disse...

Saramar,

parando pra comentar esse magnífico texto que tanto me afeta também. E pra matar um pouco a saudade que aperta a garganta. Sua homenagem à Clarice também ficou bela, sensível, linda. Costumo passar sempre, embora nem sempre tenha ânimo para comentar. Desculpe este amigo um tiquinho deslocado, mas é uma fase que logo passará...

Beijos, carinho

Carlinha disse...

Ando no cinza dos dias, mesmo com sol...
Ando trocando dias por noites...
E, ando sofrendo de amor.
Nada como ler poemas.
Abraços!

Ana Luiza disse...

Muito bom. Vir aqui me revigora, sabe? Gosto muito do que escreves. Beijo grandão.

Dora disse...

Saramar! Que "insônia" lindíssima! Não cantar mais "acorda"...dói de tão bonito!
Eu soube de você, pela Ana, minha irmã. Elogiou-me sua alegria, seu jeito sensível de ser, seu talento poético(como se eu já não soubesse dele...), sua fascinante pessoa.
Morri de inveja dela porque esteve ao seu lado e eu...não!
Escreva-me por e-mail, quando quiser, quando puder. Eu adoraria falar com você!
Beijo e carinho.
Dora