domingo, janeiro 27, 2008

Da vida que passa


A vida é tão breve, amigo
e o amor exige tanto!
quer as lentas horas de sonhar
e o silêncio em que crescem as flores.
o amor exige silêncios de contemplar a própria alma
em busca do alento que desfez
o casulo onde dormia.

A vida é tão breve, amigo
e dormimos inocentes, do amor perdidos
em outros caminhos,
de sombra ou da tensa luminosidade
dos dias vazios.
O amor nos quer garimpeiros do seu esplendor,
quer a dor e do corpo,
a liturgia.

A vida é breve, amigo...
não me deixe só,
neste engano em que pensei viver
enquanto, de saudades, morria.

Imagem: Paddy Quinn

18 comentários:

Anônimo disse...

Grande Saramar: Lirismo de primeira qualidade. Nos convida não só a pensarmos no tempo ("A vida é tão breve"), como nos próprios sentidos do amor ("O amor exige tanto"). O "eu lírico" nos atinge suavemente a fim de provocar "espantos", no que este termo possui de mais profundo. Precisamos uns dos outros ("Não me deixe só"), afinal, os auto-enganos ("neste engano em que pensei viver") nos enredam a todo instante. Cuidemos, pois, da vida, ela é única, fugaz e desafiadora. Valeu!!!

Janaina Staciarini disse...

Ai, Sara. Isso foi um tapa na cara. A vida é mesmo breve. E a gente "perde" tanto tempo com coisas poucas e pequenas...
Beijos, linda.

Jussara Gehrke disse...

é um prazer vir aqui te ler...
fazia tempo que não tinha esse prazer...
beijos
Juju

Deassis disse...

A vida é feita de gritos, sussurros e silêncios. E, como você bem observa, os silêncios muitas existem para que possamos ouvir o crescimento das flores e a imensa alegria que existe dentro de cada uma delas. Que deveria estar em nossas próprias almas.

Obrigado pela homenagem ao lado.

Mar Arável disse...

É por aí que vamos

nos vagarosos instantes

desgrenhados

nas marés

a rasgar destinos

Edson Marques disse...

Saramar,


teu poema é lindo, e você me inspira!



Abraços, flores, estrelas..

suruka disse...

Ola SARAMAR

Sim. Breve é esta vida.
E outra não haverá, pelo menos igual.

Solo se vive una vez.

bj

Claudia Perotti disse...

A vida é breve, muito breve...
Por isso temos que sentí-la e vivê-la visceralmente!

Beijinhosssssss

elisabete do encanto disse...

Minha fada das palavras!
Sempre saio babando daqui!
rsrsr
lindaaaaaaa!

Grace Olsson disse...

SARAMAR,


a brevidade da vida deveria levar o Ser Humano a repensar suas atitudes e agir mais em direção ao coletivismo.
Somente assim, creio que o nosso seria um lugar melhor para se viver.
Beijos e parabéns pelo lirismo.

Grace Olsson disse...

nosso mundo seria um lugar melhor para se viver.

multiolhares disse...

E como e vida é breve
e como é um engano

beijinhos
luna

Anônimo disse...

De fato, a vida é muito breve e seu post lindo demais.

Passei para ver as novidades, matar as saudades e convidar para a festa de 2 anos do meu blog. Você faz parte desta história.

Smack!

Edimar Suely

BANDEIRAS disse...

Querida Sara,

Que lindo poema, a vida verdadeiramente é tão curta e bela, pq não viver a sua plenitude?
Totalmente de acordo, vou enviar poema para uma pessoa muito especial.
Um ótimo carnaval.
bjs

guto leite disse...

Pois é Saramar .. a vida é realmente breve e o meu tempo esta ra lá de curto .. mas não poderia viajar sem antes vir aqui te deixar o meu carinho.. te desejo um bom carnaval .. um beijo grande meu .. guto leite

Essência Brasileira disse...

Boa noite Saramar
Vim conhecer seu cantinho atrav�s do blog do querido amigo Z� Carlos. Sempre quis conhecer seu lindo espa�o, mas me faltava coragem.
Amei cada poema. De um lirismo perfeito... doce e cativante. Parab�ns!!

Tenha um �timo feriado... Sil Porto

Janaina de Almeida disse...

Pena que muitos inclusive eu não ainda temos a noção da brevidade da vida.A Vida é um sopro, como diz Oscar Niemeyer, e é verdade.
O mundo precisa de mais poesia, perdemos tempo com muitas bobagens.
Um abraço.

Terra disse...

LINDAS POESIAS, MINHA ADMIRAÇÃO PRA VC QUE TEM O DOM DE COLOCAR AS PALAVRAS CERTAS NUM POEMA.
BJSSS NO CORAÇÃO.