terça-feira, outubro 02, 2007

Idílio

Os dias longos pesando sobre o relógio
e as horas, em seu infinito sono, tentam deter
o que não obedece o tempo dos homens.
Lá fora de mim, um mundo
e seus espantos tentam prender
o que não esmorece com muros.
Inutilmente.
Se ando sob a chuva
e um perfume me envolve,
é dos meus pés molhados
que sabem agora,
das raízes do mais fundo chão,
onde nascem flores.
Se dentro do vento
há murmúrios de antigas palavras,
um canto, uma promessa de amor,
desfaço o torpor das horas
e traço outras trilhas,
tornando em fina linha de mil augúrios,
o anterior vazio onde sozinhos,
miravam-se, em agústias de só ser,
os meus sonhos e os seus.

Imagem: Pablo Picasso

13 comentários:

Alexandre Core disse...

Belíssimo poema! Sútil. Gostei muito.
bjs,

Ana Luiza disse...

Querida Saramar. Hoje, passei aqui pra dizer que meio perdida ainda, estou voltando. E por nada, deixaria de vir aqui, pra agradecer tua presença, tuas palavras e tua força. Depois eu volto com mais calma, pra ler estes poemas que tanto admiro. Hoje, quis passar só pra dizer, que não há lugar melhor pra curar as feridas, do que ao lado dos amigos. Obrigada. Bjs

Edna Federico disse...

Saudades de vir aqui no seu canto ler coisas belas.
Beijos

Mar Arável disse...

Lá fora de mim

Cá dentro de nós

Muito bom

elisabete do encanto disse...

Que palavras........que imagem!!

vc é lindaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

Marco disse...

Saramar,
Você às vezes é abelha que colheu o pólen das palavras e transformou em mel para nosso paladar viciado por suas melices.
Às vezes você é aranha, com suas frases-teias que nos enreda e de onde nem nos esforçamos em sair.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Alexandre Core disse...

Saramar,

Grato pelo comentário. Depois que escrevi Selena percebi que é um poema que sempre pede para ser declamado. Toda vez que o releio, faço-o ciciando como se estivesse realmente conversando com a Lua. Somente uma Poetisa perceberia essa sutileza.

Beijos,

Alexandre Core disse...

Você é boa nisso, hein?! Li seu comentário ao A Soledade e a Plenitude. E estava com Pessoa em mente quando escrevi. Havia pouco que lera Tabacaria novamente.
bjs,

ALF disse...

As suas palavras caem sutis em nossas mentes. Ler tamanha sensiblidade pacifica.

Esplêndido.

^^
Beijos

Alice disse...

Lindo !!
esse texto merece um livro !!
bjussss

Renata disse...

o que vc escreve minha amiga, tem grande ressonância no meu coração...

bjos e bom fds!

Betty disse...

Saramar
Tem um presentinho para você lá no meu blog...
Um beijinho
Betty

Marilac disse...

Saramar,
Sensibilidade, amor, poesia e um talento imenso é assim que percebo você através dos seus poemas!

Este me fez refletir sobre a rotina, tempo,sobre sonhos e como o amor muda nosso caminho sempre!

Bjs
Marilac