segunda-feira, maio 21, 2007

De tudo, só você

De todas as partes em que me divido,
de todos os abismos que me habitam,
de todas as faces e fábulas
do meu ventre nascidas,
de todas as manhãs que minha noite invade,
de todas as vidas por trás da minha,
de todos os cais onde aportei,
de todos os rochedos que sobrevoei,
falcão ou gaivota,
de todos os amores que me enfeitaram,
você, meu amor,
é a parte e o todo dos meus pedaços
é a corda e o nó de me resgatar e prender
é a raiz que me sabe do avesso
é um amanhecer que nunca anoitece
é todas as estações de todas as vidas,
meu refúgio, meu destino de pousar,
meu ninho, meu colo de, finalmente, descansar.

Hoje tem um poema novinho lá no belíssimo blog do Leo.

19 comentários:

Anne Baylor disse...

"...meu refúgio, meu destino de pousar,
meu ninho, meu colo de, finalmente, descansar"

E como é bom, Saramar, ter esse colo, esse destino..
Nao há nada que valha esse delicioso e sereno prazer...

Texto lindo.
Verdadeiro.
Inteiro.

Beijo no core.

Ana Luiza disse...

Que bem me faz, te ler menina!!1 Tens a capacidade genial de dizer em poesia, o que sinto... passei pra deixar meu ABRAÇO!!! Bjo grande.

Betty disse...

Querida saramar
Que coisa mais linda! Amei!
A lúcida loucura dos poetas nos conduz às profundezas da alma...
Beijinho
Betty

suruka disse...

Ola´
desafio-te para o JOGO DA VERDADE

vem ao meu ESTADO D`ALMA

e so entras se quiseres

bjs

Poemas e Cotidiano disse...

Saramar, minha linda!
Seus escritos nos levam a doces montanhas do sentir.
Voce desenha as palavras de uma forma maravilhosa!
Beijos querida.
MARY

PS: Assista aquele filme, voce vai AMAR! Depois me conte.

Sueli disse...

Mais uma lindíssima poesia ... Só você mesmo, Saramar ... Beijo grande! (já estou indo conferir no Léo)

Marconi Leal disse...

Bonito!

Fernando Pinto disse...

Palavras sentidas, com sentido...

Abraço, daqui de Portugal.

P. S. «A ria de Aveiro estende-se, pelo interior, paralelamente ao mar, numa distância de 45 quilómetros e com uma largura máxima de onze quilómetros, no sentido Este-Oeste, desde Ovar até Mira.

A Ria é o resultado do recuo do mar, com a formação de cordões litorais que, a partir do século XVI, formaram uma laguna que constitui um dos mais importantes e belos acidentes hidrográficos da costa portuguesa.

Abarca onze mil hectares, dos quais seis mil estão permanentemente alagados, desdobra-se em quatro importantes canais ramificados em esteiros que circundam um sem número de ilhas e ilhotes. Nela desaguam o rio Vouga, o Antuã, o Boco e o Fontão, tendo como única comunicação com o mar um canal que corta o cordão litoral entre a Barra e S. Jacinto, permitindo o acesso ao Porto de Aveiro, de embarcações de grande calado.

Rica em peixes e aves aquáticas, possui grandes planos de água, locais de eleição para a prática de todos os desportos náuticos. Ainda que tenha vindo a perder, de ano para ano, a importância que já teve na economia aveirense, a produção de sal, utilizando técnicas milenares, é, ainda, uma das actividades tradicionais mais características de Aveiro.»

(Fonte: Wikipédia)

Também respondi a esta tua questão na minha foto, a do barco moliceiro. Com a vela ainda é mais linda esta embarcação que servia para retirar o moliço (algas) da ria.

grace disse...

Esse poema me dar a sensação de que vc escreveu para o meu marido...ele é assim...aquele porto seguro, a mão amiga, e o acolher em momentos que só ele sabe me entender..beijos e dias felizes

Tati Sabino disse...

Olá linda!
Só vc para escrever, descrever os sentimentos dessa maneira...como sempre: PERFEITO! lindo...
tenha um ótimo dia!!
Bjão

Marco disse...

Saramar,
Essa sua cabecinha privilegiada é uma espécie de cornucópia de belas palavras... Sem fim. O que é muito bom, maravilhoso até. Este seu poema é mais uma belíssima obra de engenharia sentimental. Que coisa boa!
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Edson Marques disse...

Saramar,


Belíssimo poema!



A ousadia move o Mundo!


Abraços, flores, estrelas..

Renata disse...

Ai amiga, hoje eu é que estou precisndo de um colo desses....

bjos c/ muito carinho!

cilene disse...

Lindo poema..sera que existe esse porto seguro para todos? ou so para especiais? assim como vc.

luma disse...

Saramar!

O que seria de nós sem o amor e consequentemente a poesia? Pois formam um lindo casal!

Bom dia !!

Beijus

Angela disse...

Sublime querida Saramar! Sublime este poema que fala de um amor sublime!

Só tu tens essa capacidade infinita de falar dos sentimentos.

Um grande beijinho.

Rosangela disse...

Amor...sensibilidade...poesia...embrulha tudo e entrega lá em casa por favor...
Amei teu cantinho, voltarei mais vezes...beijos e um lindo final de dia

Claudinha disse...

Nada como ter um porto seguro, um norte que sempre está pronto para nós... O poema é lindo (eu não me canso desta frase).

Poemas e Cotidiano disse...

Saramar, minha linda!
Toda vez que venho aqui e leio e releio o que voce escreve, eu a sinto uma pessoa que tem o dom das palavras, como uma fadinha...
Voce escreve de uma forma tao lindamente romantica...me encanta minha querida!
Um beijo com muito amor! Que seu fim de semana seja maravilhoso!
Te adoro!
MARY