segunda-feira, maio 07, 2007

APRENDIZADO

Por que me ensinou os sonhos?
Agora acordo em deliqüescências e minhas mãos se querem pássaros
em sobrevôo de matas.
Agora, ando em segredos, em fábulas e aceito logros dos meus ouvidos,
tontos de sussurros.
Pérfido! Enredou-me em suas margens,
tomou-me em enchentes e desvendou suas raízes inesperadas onde me prendo em langor de flores a se deixar levar,
indo, indo, para sempre presa.
Pólipo! Não me solte, antes, espalhe em meu corpo seu líquido amor.
Maná, meu mar e seus abismos onde tudo se resume e explode em outros mundos.
Por que retirou minhas vendas?
Agora, pés nus, acorrentada para sempre em seus rochedos,
sereia às avessas, encanto-me com o líquido sal de um cavalo-marinho,
delicadamente a me contar dos pélagos e tramas que em mim desvenda.
No seu querer mais obscuro, criou em meu ventre um quebra-nozes, um quebra-mar e me ensinou a esperar a noite com a sede dos perdidos.
Por que me ensinou a noite?
Esqueço o sol e conto as horas. Dias mais longos que a vida.
Conto seus dedos e as canções que inventa em meu umbigo.
Ai, Deus, esses estribilhos!
Noite, noite e seus carinhos a obscurecer meus sentidos.
Curvo-me e os espelhos nos refletem e a noite
e dentro dela uns ais.

Imagem: Cherikov

24 comentários:

teresamaremar disse...

POr vezes volúpia, por vezes poema... :) assim somos

Um beijo

adelaide amorim disse...

Não tive tempo de visitar todos os blogs de que você participa (você trabalha, não? :) Mas acabo sempre voltando aqui aos poemas - "Ai, Deus, esses estribilhos!" Um beijo grande.

Fernando Pinto disse...

«(...) Por que retirou minhas vendas?
Agora, pés nus, acorrentada para sempre em seus rochedos,
sereia às avessas, encanto-me com o líquido sal de um cavalo-marinho,
delicadamente a me contar dos pélagos e tramas que em mim desvenda (...).»

Adorei esta passagem!

Beijinhos, daqui de Portugal,
FM

Dora disse...

Ai! Esses ensinamentos e essas aprendizagens...Ficou um encanto esse texto! Um canto de amor que se pergunta, porque se deleita no "perguntar"...Quer saber, moça?
Um texto que se, vc permitir, vou guardar de lembrança...
Beijos, Saramar!
Dora

Ana Luiza disse...

Como sempre: um brinde aos meus olhos. Parabéns Saramar alma e coração de poeta.

cilene disse...

passando para deixar um abraco e saber se esta bem?

Lela disse...

"Dias mais longos que a vida"... Ei, linda, um amor em que os dias são mais longos que a vida não é um amor, é o Amor! Adorei!
Um beijo.

Jussara Gehrke disse...

fazia tempo que não passava por aqui...sempre muito lindo!

beijinho Saramar

Ju

Anne Baylor disse...

Encantador..
Poucas palavras para transcrever a pérola gostosa que acabei de ler.

Bjus

Moita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Moita disse...

Os estribilhos estremecem e entrelaçam as entrâncias.

1280 cheiros

O Sibarita disse...

Ai meu Deus! A Saramar tá muito retada, o texto que o diga...

Tá muito legal viu Saramar? Parabéns!

bjs
O Sibarita

Alvaro disse...

Muito expressiva!

Manoel Carlos disse...

Eternos aprendizes em ensinamentos recíprocos?

ALF O Extasiado disse...

o jeito é encantador... aperta o coração.
ele brilha.
:)

Lindo.

bjos

Ricardo Rayol disse...

Simplesmente maravilhoso de se ler minha querida amiga e gurua. Um dia chego lá.

Esyath disse...

Saramar,

desejar é provar que ainda é humano e tem paixão nas veias.
Belo post!

Bjs (Des)conexos!;)

Anônimo disse...

Admiro-te muito!:)

elisabete cunha

Jota Effe Esse disse...

"Conto seus dedos e as canções que inventa em meu umbigo". Conte até mil em "dias mais longos que a vida" "com a sede dos perdidos". Isso é muito bom. Meu beijão.

tati sabino disse...

Oi linda!!
Que lindo!!!..sabe q sou sua fã, né?!
Bjão!! até mais

Bichodeconta disse...

Amiga essa imaginação é de uma fertilidade aterradora...Lugar obrigatório de passagem, de paragem para te ver, te ler e reflectir sobre o que escreve com tanata sensibilidade. Um abraço e a promessa de voltar a este lugar.. Ell

looking4good disse...

«Noite, noite e seus carinhos a amanhecer os meus sentidos» (apenas uma variante ... que não resisti a escrever) :). Alma de poeta tem mesmo de escrever sobre sentimentos, emoções e algumas dores. Foi um prazer passar por aqui e por isso deixo «flores, sorrisos e ... poesia», desde Portugal

claudete disse...

minha querida , como sempre fortes os seus versos, porquanto refletem o que vivencia, não é só imaginação...amei. Entende-se por que a noite é o delirio da alma do poeta.Bjs.

Marco disse...

Saramar... Pélamordedeus! Assim você entra para a Academia Brasileira de Letras! Eu queria que o Drummond fosse vivo, o Vinícius... Para eu mandar este poema para eles e dizer: "De Goiás, terra de cora, vem letras fortes e lindas, que fazem versos como: sereia às avessas, encanto-me com o líquido do sal de um cavalo-marinho..."
Aplaudindo de pé!
Carpe Diem.