domingo, setembro 23, 2007

Sem modos

"teu íntimo sentir floresce em minha boca..."
Unamuno


O amor chegou qual um raio, riscando o céu (de cegar) e meu corpo mudou, flutua agora, apesar de ar faltar a todo minuto, à menor lembrança do meu amado.

Agora, sou apenas os meus sentidos, o tato, a pele em fogo e devaneios. A primavera me entra pelo corpo, polens, planuras coloridas, sonhos de Monet, mil picadas de abelhas formigam em mim, eu flor, colorida de amor, em mim já posso sentir as tépidas mãos que me irão desfazer, pétala a pétala.

Abertos todos os céus, neles passeio, tomando para mim, estrelas, reivindicando a lua e suas serenatas e os gatos cantando em dueto nos becos. Não disse que me perco, que devaneio? É a loucura de quem ama.

(Meu corpo já se abre feito girassóis, em prelúdio de carícias).

Não quero lençóis, quero a canícula do meio dia que ele trará, mesmo que venha de madrugada. Quero a impudicícia do sangue aquecido até a dor, ventura, quentura boa de quem ama assim como amo. Não quero os planos, quero que me olhe como olha o mar, com sal na boca e o horizonte nos olhos.

Não quero leitos, quero flores e beijos e tudo o que meu amor sabe trazer, carta de amor no bolso e um rosto alegre e belo, bárbaro dono do que sou, dúplice sonho, minha água de aumentar a sede, Zeus meu e suas plumas.

Imagem: Richard Cosway

12 comentários:

Betty disse...

Saramar querida
As cores da primavera enfeitam o dia lá fora e despertam os corações.
Salve a primavera!
Salve os poetas!
Um beijinho
Betty

Renata disse...

Oi saramar!
Não há estação que combine mais com o amor do que a primavera...afinal quando estamos amando parece que tudo são flors dentro da gente!

Uma ótima semana de primavera pra vc!
bjos

Nena disse...

Idílica, não, meu bem?

Muito colorido em palavras.

;-)

Feliz Saramar para mim então...

beijinho

Ceci disse...

Feliz Saramar, grande amor, belíssimo poema, onde os sentidos estão alerta, vivos e quentes!
Que desfrutes segundo a segundo desse estado de Beleza e Poesia!
Abraços,

moacircaetano disse...

Queres tudo, e tudo te quer!

maria claudete disse...

Primavera...ah! Primavera, quando chega e toca às pessoas é sinal de que nada se perdeu. "Flor colorida de Amor", lindo , só você para dar tanto brilho e leveza às palavras. Bjs.

Janaina Staciarini disse...

Ai que coisa mais linda ver a primavera assim.
Beijão, Sara, querida.

Kall disse...

Saramar te vejo em varios blogs amigos...e desde que li o post do Guto falando de vc estava curiosa em te ler e te conhecer...demorei um pouco pq estava com alguns problemas pessoais...mas enfim tudo resolvido e eu estou voltando aos blog e corri aqui para lhe conhecer e posso dizer que foi uma deliciosa e produtiva visita...Guto quer que conheça seus outros blogs entao tenha ctz de que me vera e muito por ai..rs
Um grande beijo e parabens pelo talento com as palavras...boasemana.

Claudia Perotti disse...

A primavera, Monet, carícias, amor ... inspirador!

Beijinhossss

Mar Arável disse...

ÁGUA DE BEBER

Pensando disse...

Agora que a primavera resolveu dar as caras, embora o inverno insista nos seus últimos estertores (morre fia da puta!!!), eu estou pensando em abrir as minhas janelas. Que o Guto não leia isso (conto com sua discrição), mas na primavera eu fico até meio fresco, pois uso roupas coloridas, cuecas e meias idem, e fico como um passarinho assanhado, já com idéias de bolinação explícita na boa esposa. Canto uma ode à Baco e a Eros, e começo a recolher presentes à Netuno, pois a temporada de praia, sol, e mulheres semi nuas está para começar. Olho as flores se abrindo, e sou só sorrisos, e sinto minha alma libertar-se do casulo em que hibernou. Também sou todo poesias, e sinto-me um bardo cantador, ou um sátiro a correr pela floresta atrás de jovens donzelas, primeiro para arrastá-las para fora da mata, afim de que peguem uma cor decente, um pequeno bronzeado que seja, para depois pensar em impudicícia....rsrsrs. E que se abram feito girassóis, molhadas pelo orvalho da noite, que eu, como beija-flor sedento, sugarei seus visgos juvenis, e num bater de asas vigoroso, voarei em direção ao sol feito um ícaro enlouquecido.
Beijos de primavera

Marco disse...

É impressionante a sua maturidade como poeta...
Já está mais que merecendo o livro!
Carpe Diem.