domingo, setembro 02, 2007

Ilusões



A todas as ilusões me entrego.
Se não há amor, invento.
Vivo de verso em verso
como se amando pela vida andasse.

Engano-me?
Sim.
De que mais viveria
senão dessa agonia?

Dói?
Sim.
Muito mais doeria
carregar em minha mão
a flor morta da solidão.





Imagem: Jonh Willian Waterhouse

15 comentários:

Claudinha disse...

O poeta é um sonhador, fingidor, enganador de si e de todos. Somente por isto, torna as ilusões realidades. Mas o que seria de todos sem a sua lira? Beijão!

Ursula disse...

E o q é a vida sem o amor?
Beijos

Renata disse...

Muito bonita esse poema.. Muito mesmo.

Adorei.

Abraços.

Tia Alice disse...

...mais doeria carregar em minha mão a flor morta da solidão.....

demais , lindo, inspirador... são versos da alma, pra alma e da alma.

bjusss e uma linda semana pra vc !

Anônimo disse...

Menina Saramar, que coisa bonita!
Tenho estado pouco na internet. Problemas, problemas... Quando posso, não deixo de ler você e sua maravilhosa forma de pensar e dizer do amor.
Um semana feliz.
Leila

Yvonne disse...

Saramar, você sempre escrevendo maravilhas. Beijocas

Claudia Perotti disse...

Concordo com a Yvonne ... escreve maravilhas!

tanto sentir!

Beijinhossss

Bichodeconta disse...

Estou sem palavras, tal a profundidade do seu poema.. Lindo, Parabéns.. Tudo de bom que possa alegrar tua vida e diminuir tua solidão...Voltarei..

frodooliveira disse...

Obrigado pelos votos, querida Saramar! Com esse nome tão poético, vc tinha que ser poetiza, não é mesmo? E em sua homenagem, acabo de publicar no meu link do Recanto das letras o poema Saramar... Espero que aprecie, minha amiga!
http://recantodasletras.uol.com.br/visualizar.php?idt=636887
Grd beijo e uma ótima semana!

Edna Federico disse...

Antes sofrer de amor, do que não amar...
Beijos

Ricardo Rayol disse...

Uma agonia vívida...

Fernando Pinto disse...

O texto casa muito bem com a imagem... Como sempre!

Marco disse...

Você voeja de verso em verso feito um beija-flor de palavras. e delas toma emprestado o perfume com que nos presenteia a cada vez que derramas seu coração no teclado. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Nena disse...

Mas que meu comentário no post acima se encaixa como luva nesse?
Amor inventado? não existe!
Existe o vivido e experimentado e extasiado no coração!
(se foi ilusão, isso é outra coisa)

beijo forte

Viviane de Sales disse...

Olá Saramar!!!! Bem, vc postou um comentário interessante no meu primeiro texto publicado no Overmundo....POEMA VERMELHO.
E agora estou aqui conferindo seu blog, e descobrindo que quem comentou meu poema é uma poetisa de primeiríssima linha.
Um abraço!