quarta-feira, agosto 01, 2007

Madrugada

Um violão abraçado em abismo de rosas,
dilema das mãos, mal sabem onde estão
mas sabem do som que o amor abriga,
sabem se só dilermando?
ou são as minhas,
que descansam nesta madrugada
de nós dois,
ou três ou mil amantes
tão frágeis na rua,
e a lua, rindo dessas neblinas
que a cobrem.
quem repousa em meu corpo?
o violão, d'accord, d'accord
carrilhões, outros sons,
já é madrugada,
mata-me de amor.

Imagem: Diego Roberto

13 comentários:

suruka disse...

Decilicioso.

Os sons do violão misturados
com mãos que mal sabem onde estão.

Nós dois amantes ou mil, não importa o numero.
Morrer de amor.
bjs

maria claudete disse...

lindo , que bom que ainda se pode curtir a madrugada, o violão e os amores... ilusão? não! existe Saramar , sua poesia , sua sensibilidade embriagante. Amei. Bjs. claudete

Claudia Perotti disse...

Uma linda inspiração ilustrada por uma bela tela!

Beijinhoss

Claudinha disse...

A madrugada é dona de tantos segredos... De tantos acordes... Lindo, viu?
Olha depois de seu poema lindo, adivinhe a surpresa que o Leo me aprontou? Publicou um texto da poetisa oficial da família (mami). Fiquei muito feliz, ela, nem se fala. Beijos!

Mari disse...

Oi,Saramar
Lindo!Fico imaginando a cena..a poesia tem esse poder!e vc nos passa muito bem..
Beijos

Rosangela disse...

Mata-me de amor...
Lindo...muito lindo...
Beijos e com saudades...

Jota Effe Esse disse...

Que poema gostoso de ser lido, parece até que estou ouvindo o dolente dedilhar do violão sob o luar. Meu beijo.

Remisson Aniceto disse...

Oi, Saramar. Lindo, tudo que você escreve. Especialmente este poema, música para meus ouvidos, mistura de sons e flores, pura emoção... Um abraço!

Lord Broken Pottery disse...

Saramar,
Só passei para alimentar a alma.
Beijo

moacircaetano disse...

deliciosamente musical...

Anne Baylor disse...

Uauuu...
Deixou-me sem fôlego..
Sem palavras..
Lindo e maravilhoso.
Puxa Saramar..

Lindo demais.

Beijos enormes e obrigada pelo gentil comentário no meu blog.

=]

Moura ao Luar disse...

A madrugada abriga segredos de amor, poesias sussuradas em lábios de calor. Beijo

La femme qui rit disse...

tudo linnnndoooo!Beijos