segunda-feira, julho 30, 2007

MÁRIO QUINTANA


Do Amoroso Esquecimento
Eu, agora - que desfecho!
Já nem penso mais em ti...
Mas será que nunca deixo...
De lembrar que te esqueci?

(Espelho Mágico)


Os passarinhos,
as ruas de Porto Alegre,
a alma da poesia mais pura,
a alma de passarinho nas ruas,
alegre, alegre,
o porto de poemas,
soltos, soltos.

Quintana,
passarinho solto no céu,
colorindo almas de anjos.

Poeta,
pequenino pela pureza de sua alma-criança,
imenso pela grandeza dos seus versos.

Ave, Poeta,
para sempre vivo,
hoje nascido em 1906,
sempre menino das mãos de ternura.
Ave, passarinho.

Imagem: Vera Basile


Hoje há um pequeno poema lá no blog do Leo. Por favor, clique aqui.

10 comentários:

Rosangela disse...

Mário Quintana...Simplesmente Mário Quintana...
Beijos Saramar e uma ótima semana...

Mamanunes disse...

Olá Saramar.
Só ele mesmo...
Um beijo prá você.

Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!

carla granja disse...

olá! saramar. lindo este poema k acabei de lêr. gosto sempre de aki entrar e lêr coisas tão bonitas k nos fazem sonhar. eu escrevi ontem um poema se puderes passa por cá e me diz o k achas, gosto sempre de sabr a tua opnião. tmb colokei uns videos e se kiseres ouve joao pedro pais k é um excelente cantor e compusitor tmb e no poema kdedikei ao meu irmao colokei um video da banda para a kual trabalho de vez em kuando k é a banda iris e tmb são muito bons.
bjo amiga..e uma semanarepleta de coisas lindas para ti.
bjo
carla granja.

Renata disse...

Ah Quintana...tem lugar cativo no meu coração...tb fiz uma homeagem pra ele ontem...bela escolha, saramar!
bjos e ótima semana!

Ricardo Rayol disse...

Bela homenagem.

Leticia Gabian disse...

Saramar,
Estou contigo nessa admiração pelo Quintana. Gosto imenso do jeito como ele escrevia, de forma simples, os seus pensamentos/sentimentos mais profundos.
Beijinhos

Moura ao Luar disse...

Fosse eu ave com asas suficientes para partir...

Edna Federico disse...

Me apaixonei por Mário Quintana recentemente e cada dia é uma maravilhosa descoberta.

Sandra Leite disse...

Ainda bem que as palavras são registros e não apenas lembranças.
Viver Quintana é muito bom!
Beijos

pensando disse...

Você sabia que eu costumava sentar com o Mário Quintana nos bancos da praça da Alfândega por ocasião da Feira do Livro, aqui em Porto, e ele me filava cigarros. Juro! era uma figura e tanto. Taí alguém que soube viver. Eu tinha na época alguns 30 anos, e adorava sentar com aquele velhinho de olhos super atentos, que consegui enxergar detalhes que nós pobres mortais não conseguía-mos. E após, recolhido aos seus aposentos, no hotel Magestik, nos brindava com essas pérolas. Bons tempos.
Obs: Eu fosse você não diria ao Guto que eu estive por aqui. Ele é muito ciumento. Sabe como é esses jovens de hoje, tão inseguros. rsrsrs
Beijos menina