sexta-feira, julho 06, 2007

Um sonho

Em alguma madrugada insone,
desejei-te tão intensamente
e foi tão imenso o meu apelo
que talvez tenhas chegado
como um verso inspirado,
uma luz que se abre na noite
ou o último acorde
de uma canção de desespero.

Talvez nem tenhas existido,
talvez tenhas sido algum devaneio
de minha alma desejosa,
um anjo, algum destino
que se foi, assim como veio.

(o que resta quando morrem os sonhos?
quando secam, enfim, as rosas?
)

11 comentários:

Renata disse...

O que acontece? A gente cria novos sonhos e planta novas rosas...

bjos e ótimo fds!

A.S. disse...

Os sonhos morrem, mas renascem com novos horizontes...
Quando as rosas seca, fica o seu perfume!


Um terno beijo!

Lord Broken Pottery disse...

Saramar,
Tenho a impressão de que nada resta após os sonhos. Tem sido agradável a poeta Saramar. Para quem acostumou-se com a combatividade política, é curioso observar essa outra faceta. Seus textos são muito bons.
Beijão

Marco disse...

Saramar,
O que resta? A certeza de tê-los sonhado. A lembrança da beleza e do perfume das pétalas.
E resta a poesia de quem tem a sensibilidade do sonho e da rosa para traduzir em belos poemas como este o que ficou. Você é única, saramar.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Bichodeconta disse...

E resta sempre a possobilidade de voltar a sonhar..Sempre a mesma qualidade na escolha das palavras, parabéns...

Edna Federico disse...

Acho que sonhos nunca morrem...pelo menos pra mim. Se os realizo, lá estou eu sonhando novamente com outras coisas...

Blogue da Magui disse...

Ficou bonito.Devaneios na madrugada são comuns e anotar de forma tão bonita é que é diferente.

Jota Effe Esse disse...

Resta-nos o consolo de cantar "As Rosas Não Falam". E voltar a sonhar. Beijos.

Rosangela disse...

OI Saramar querida...sabe que cada vez que te leio, fico sem saber o que dizer...Tu escreve muito bem...
Quanto aos sonhos, e as rosas...Plante novos, que com certeza iram florescer te trazendo surpresas maravilhosas...
Beijos e um lindo fds

Ana disse...

Os sonhos não morrem. Simplesmente mudam de forma. Passam a ser memórias, continuando a ser sonhos.
Gosto de vir sonhar aqui.
Um beijo.

Angela Ursa disse...

Saramar, quando um sonho parece acabar é apenas um intervalo, como as estações na natureza, para uma mudança. Beijos floridos da Ursa :))