quarta-feira, janeiro 31, 2007

Ao sol

Quer saber? No momento em que vivo, vivo demais. E a noite não cabe em mim e nenhuma chuva me alcança, nem lábios de morder, nem serenatas. Não há noite, não vejo estrêlas. Ando ao sol, em lutas. Meu cavalheiro, à distância protege-me os flancos e toca-os, em quente ternura. Incontida, desmonto fases, faces, lanço ao fogo todos os medos. Minhas máscaras estão cegas, não mais me servem.
Mas os pedaços de fantasia guardados, retalhos de antes, abrem alas em meus próprios pedaços. Despeço-me de qualquer dor, embrulhada nos mantos de Vênus.
Neste dias, vivo demais.

Imagem: Alfred Gockel

18 comentários:

Lulu on the sky disse...

Muito linda a poesia.
Agradeço sua visita ao meu blog.
Big Beijos

elisabete cunha disse...

Você sempre me encantando!!!
amei!!!!
aparece tem post novinho!!!
Casa nova??? chicc!!
beijão! www.elisabetecunha.wordpress.com

Sueli disse...

UAU! Reforma na casa ... Quadro novo na parede ... Congratulations! You are so beautiful! Nem contou nada pra gente, bela surpresa! O clima de mudança é total, pelo que vejo. Beijo grande!

Nomadezz disse...

Ótimo Post.

Cavalheiros andantes, Guerreiros gregos, poetas ou simples mortais, exaltam todos a imagem da mulher amada.
Por quem não sonhariam eles, por quem não sonhariam elas?

Bjs.

tati sabino disse...

Olá! saramar...ja sou tua fã, sabia?!...rsrsrs...ainda não consegui ler tudo.mas estou indo devagar..hahaha..adorei teus poemas!!...bjos

Dreamer disse...

e de viver demais há de se morrer a boa morte ébria e jovem, antes que venham os cães e seus dentes.
beijoo

Ursula disse...

Sabe, acho q a gente devia viver demais sempre, todos os dias.
Adorei o post. Beijos

CAMU disse...

Lindo, lindo!
Beijoca

nancy moises disse...

uauaua Saramar que lindo adorei.. Ofereço o award blog nota 10 e o award Felicidade do lua em poemas, e convido a fazer a inscrição p/ ser destaque. Bom dia!!
Bom dia bjss

Anônimo disse...

Olá!!
Um belo visionário momento...
Agradecido, José

disse...

Tem dias que viver demais nao é suficiente ... mas tem dias que é bom demais!

Carlos disse...

[Saramar] [saramar104@yahoo.com.br] [http://abrindojanelas.blogspot.com]
Karlos, alguns poemas nos deixam sem palavras pelo tanto de amor que guardam em seus versos. Este é um deles. É maravilhoso. Beijos

O amor é um cântico. É um sonho. O clima do universo se resume na palavra amor. Até o ódio que o tempo se encarrega de burilá-lo, aos pouco se apagará e sua chama transformar-se-á em amor. Nesse caso é a extinção do ódio. Em algum lugar existirá o ódio, pois há um equilíbrio entre o ódio e o amor. Agradeço-lhe de coração sua visita carinhosa!

Carlos disse...

Que lindo lamento de amor!
Saramar | saramar104@yahoo.com.br | http://flanarfalares.blogspot.com | 31/01/2007 11:33
Responder este comentário

Precisamos de ar puro. E quando o ar puro se chama amor, vale a pena cantar aos quatro cantos do mundo em versos e também em prosas. Já me acostumei com o seu convívio nesta pequena página onde venero de forma singela esta palavra tão importante que é o amor.

Claudinha disse...

Comentei e sumiu...

Eu disse: Quer saber? Eu queria ter escrito este texto para o meu cavalheiro! Muito lindo! Beijos!

Marco disse...

Primeiramente, parabéns pelo belo template. "Abrindo as janelas" com vidraças novas, deixando o balé das cores brincar nas cortinas... Mui lindo.
Segundamente, este poema é um poema dos que amam. Dos que querem amar. Dos que já amam, mas não podem viver o amor em toda plenitude. Dos que precisam aprender a amar.
Ou seja: esse poema é para a humanidade.
Querida, mais uma vez você excedeu todas as medidas.
Grande beijo procê.

Ana Luiza disse...

Template novo, amiga? Parabéns!!! Lindo demais. Adorei ver tua foto, também. Quanto ao poema, nenhuma novidade - ALMA!!! Tens a dita, na ponta da caneta (ou, dos dedinhos...rs). Bj grande.

cilene disse...

e bom viver demais..assim nada mesmo pode nos alcancar

G versátil disse...

lindo...imagem e texto.