quinta-feira, janeiro 11, 2007

Em pedaços

Há quem ame para sempre.


Há quem derrube os espelhos
e deixe o amor aos pedaços, refletindo-se, vazio,
em sonhos quebrados.


Há quem ame apenas.
Continuamente, refazendo os reflexos,
as mãos em sangue, a alma em sangue,
juntando cacos até ver refeita a imagem
e suas cicatrizes.

Imagem: Alfred Gloekel

16 comentários:

Só mais um Cortez... disse...

Minha linda Sara,
Desculpe a demora em te responder, mas estive viajando e somente cheguei a Brasília hoje.
Adorei todas as tuas palavras ditas em Meus Desvaneios, assim como adoro tudo o que escreves em tuas Janelas abertas...
Quanto ao meu poema, fique a vontade pra usá-lo, não só esse como todos os meus, pois sei que vc dará os devidos créditos.
Um 2007 lindo e mais próximo de Deus!
B-GIN.

Anônimo disse...

Saramar,
vir ao nosso sítio é um súplicio, não tenho comentado, mas sangro tanto quanto vc.
um beijo
miguel

nomadezz disse...

Tenho as mãos macias, não lembro mais quando chorei

Não tive a coragem, deixei o amor fugir ao vento

Não sou feliz, me engano constantemente.

Não posso deixar de admirar aos que ao amor de verdade a vida sempre se regeu.

Jéssica disse...

Muito lindos e sensíveis os teus textos. Parabéns!

Blogue da Magui disse...

Ficou lindo com belo jogo de palavras. O amor no sentido aí exposto é resultado dos hormônios.

Ana Luiza disse...

Ah, minha querida: esta sou eu! Sangro, choro, refaço a minha vida juntando e colando todos os caquinhos, mas não desisto de amar. E pelo que posso imaginar, és bem assim também. Lindo poema. Bjão

Márcia(clarinha) disse...

Jamais desistir de juntar caquinhos mesmo que ao fazê-lo sangrem nossa mão e nosso coração...
Doce Saramar,iloviu,rss
lindo findi
beijossssssssss

Anônimo disse...

Isso não é amor, é masoquismo.
Amor tem q ser gostoso, relaxante, companheiro, sexy, inovador, tudo menos sacrifícios e submissão.
Vc faz bem e denunciar o falso amor.

Querida, passei para a 2ª etapa do nosso plano, sua pesença é urgente.

Indianira disse...

amiga de tudo o melhor é sempre deixar-se a cargo do amor!beijos.

arritmias disse...

há que ame e ponha tudo isso naquilo que faz.



e há quem fuja...

Sueli disse...

UAU! Saramar, que lindo poema! Amei! Dá até vontade de enfeitar meu blog com ele! Parabéns!

ALF O Extasiado disse...

Há que deixe de amar. E sem saber morre aos poucos...


Sensível texto Saramar. Belo e encantador
beijos amiga
:)

Loba disse...

Há quem ame apenas... mas amar sempre vale a pena, né?
Queridinha, obrigada pelo carinho e pela presença. Estou ainda fora do blog, mas me preparando pra voltar. Com uma saudade grande de todos...
Beijos, viu?

cilene disse...

e ha quem nao ame nada e nem ninguem

Marco Santos disse...

Que belo, Saramar... Belo e triste, como às vezes o amor é.
Beijos e meu desejo de um bom domingo pra você.

Eärwen Tulcakelumë disse...

Sentimentos...como nos pegam as vezes desprevinida... entendo bem o que dizes aqui.
Pedaços, Retalhos ... como deixamos tranparecer a dor que por vezes transborda em nós.
Mas digo, somos felizes pois podemos colocar no papel a dor que por vezes dilacera nosso ser.
Deixo-te pérolas incandescentes de força, para continuar sempre.
Eärwen