domingo, janeiro 21, 2007

O que sou


O amor, com suas reticências, veio e me transformou no que não sou.
Princesa de conto de fada, estrela e flor, bailarina de desejos, deusa e bacante.
Mas nada disso me descreve.
Em meus espelhos, outras imagens, esboços do que poderia ter sido, não fora a felicidade grande demais para meus olhos meio cegos.

Sou antes, a caminhante sozinha em velha estrada esquecida, de pés cansados, de coração cansado, indo ao encontro de um abrigo perdido em algum canto da vida.

Sou mais uma mulher enroscada em suas aflições de sonhos irrealizados , que mesmo assim, insiste em sonhar.

Sou a errante que, apesar do árido trilhar, vive o ciclo das águas, rio, nuvens de chorar.
Nem deusa, nem fada, nem bailarina, sou aquela que perdeu o ritmo dos dias e o rumo, de tanto amar.

Imagem: Luís Ventura

12 comentários:

Val disse...

"Nem deusa, nem fada, nem bailarina, sou aquela que perdeu o ritmo dos dias e o rumo, de tanto amar"... Simplesmente magica essa frase. Amei...

**C@tuli-> disse...

Um texto para suspirar! amei!
Ótima semana pra vc!
Beijos

Ana Luiza disse...

É menina!!! O amor e suas retiscências, acaba por nos transformar em outras, que não nós mesmas! O problema, é que sem ele a gente fica meio inútil, vazio, oco... então, vamos só dar um tempo, pra colocar a cabeça e as cisas no lugar e então... que o amor venha e nos pegue com toda força! É o que desejo... (pra nós!) Bjão

PELADUZ disse...

Sonhar é o arrepio da alma, de nossos corpos aqui passantes.

Tolos, tontos, errantes...

Anônimo disse...

(...)um beijo.
miguel

Kaline disse...

Nossa! Esse texto é de sua autoria mesmo? Se for, parabéns!!! A mensagem é bem profunda. Gostei de seu blog, e estarei aqui sempre também, se não se importas, claro! Um abraço.

Anônimo disse...

Saramar:
Muito lindo, espirito de viver.
Amei.
Beijão
OPaulo

Poemas e Cotidiano disse...

Uma bailarina perdendo o ritmo...que lindo minha amiga.
Somente voce para achar essas palavras tao maravilhosas.
Beijos com amor,
MARY

soslayo disse...

Saramar

Sendo o Amor uma eterna fonte de dor, que esperar? Sofreu até um dia acabar!!! Profundo o teu texto. Um beijinho.

soslayo disse...

Saramar:

Rectifico: Sofrer

Tiago disse...

nem deusa, nem fada... foda.

Alexandre Core disse...

Saramar,
Vim aqui no seu blog agradecer seu comentário. Aos poucos vou lendo seus poemas. No meu blog não divulgo os meus. Até poderia faze-lo, mas não era essa a idéia. Prefiro divulgar os mais belos que conheço. Vez ou outra coloco algum texto, mas a paixão é pela Poesia realmente, onde eu tento casar o poema com a fotografia.
Vamos nos visitando conforme possibilidade e afinidade, ok?
abrs,
Alexandre Core