domingo, abril 22, 2007

MEU ANJO

Mandas-me não amar, eu ardo
Dizes-me que sossegue, eu peno, eu morro"
Bocage


Já fui mulher de cantos e alegrias fáceis,
imersa na felicidade de uma vida comum e rasa.
Já provei vinhos e bocas levada pela beleza
e o rumor das noites vazias de solidão.
Já falei de amor sem saber
dos seus significados e armadilhas,
luzeiros de ofuscar a razão e descartar certezas.
Já fui infeliz e não sabia,
paródia triste do cancioneiro.
Agora, apesar do outono, ouso renascer,
presa nas asas de um anjo, aprendiz da ciência de voar.
Um anjo a me ensinar que mesmo as dores têm beleza,
se resultam desse amor verdadeiro que plantou em mim,
jardineiro de sonhos.
Agora, é outono.
Semeada de amor, guardo em mim
as afoitas fontes de real felicidade
que mal suportam esperar as flores
e já se querem soltas em beijos, em risos,
em luzes de primavera ou quenturas de verão.
Sou a mesma e meu amor transborda.

(Foi o anjo que, em mim, desconcertou as estações).


Imagem: Boueges

12 comentários:

Anônimo disse...

Saramar,
Quem já não foi mulher de alegrias fáceis?
Qual não provou bocas vazias nas noites vazias de solidão e não falou de amor sem saber das armadilhas?
Qual não teve um anjo de professor?

Só você, no entanto, sabe dizer, sem se esquivar do direito de ser mulher.
Lindo poema, linda mulher!
Abraços
Leila Jalul

Renata disse...

Querida Saramar,
quando a gente aprende o que é amar de verdade não há como não ser uma transformação de/na vida, não é mesmo?! Na minha foi...

bjos carinhosos

Fernando Pinto disse...

... mesmo as dores têm beleza...

Concordo plenamente!

tati sabino disse...

Oi, linda!!
...as vezes é mais dificil viver o amor verdadeiro, do q encontra-lo...infelizmente!!!...rs bjossssss

Dono do Bar disse...

Sabe de uma coisa, acho que você é o anjo desse anjo. Linda poesia!

Beijos e tenha uma ótima semana.
DB.

PELADUZ disse...

Oi Sara,

Perfeito.

bjs.

Marconi Leal disse...

Que dizer, depois de tudo isso? Belo.

Anne Baylor disse...

"Agora, é outono.
Semeada de amor, guardo em mim
as afoitas fontes de real felicidade
que mal suportam esperar as flores
e já se querem soltas em beijos, em risos,
em luzes de primavera ou quenturas de verão. "


Ai , que delícia de poema..
Adoro ler vc...
Super bjin.

Élcio disse...

E lá em cima vc diz:
"Sou apenas uma mulher tentando escrever sobre sentimentos, emoções e algumas dores."

Tentando escrever?
Pois sim.
Quem escreve poemas assim, e em especial esse ultimo, esta longe de apenas TENTAR, já é gente grande, já se fez madura e sabe como poucos, pintar as imagens mentais que irá passar adiante.

Adorei. Mais uma vez...rss
É isso ai!
E tenha uma otima semana.
Bjs

Dora disse...

Saramar! Sei que poemas são "criações" de realidades...Mas, desejo ardentemente que este seja puramente "auto-biográfico", para que eu possa ficar feliz ao contemplar um amor "outonal" (seu) tão pleno!
Beijo meu!
Dora

Lino disse...

O amor nos faz alegre, nos dá vida, faz com que vicejemos.

Yvonne disse...

É bom saber que mesmo que estejamos no outono de nossas vidas ainda tenhamos o frescor da primavera dentro de nós. Beijocas