segunda-feira, abril 09, 2007

Cegueira

Tentei filosofar sobre o amor,
falar em conceitos, metafísicas, explicações.
Que bobagem. O amor é sempre único,
não se mostra em espelhos alheios.
Antes, quer horizontes onde se espalhar
e aconchego, ninar em penumbra.
Bicho livre, alteia-se em voz única e seus ecos.
Basta-se, o amor, e não se contém.
O amor não quer filosofias, nem hipóteses.
A mim, por exemplo, basta-me amar assim,
como amo você, amor impossível.

Basta esse sentir constante
que é o meu próprio respirar
mesmo sem ar, sem esperança.
Basta amar assim, como amo você, sem medo.
Basta este enredar-se de folhagens em selva, em seivas.
Cegueira de amor.

Imagem: Carol Henry

15 comentários:

tati sabino disse...

Ahh..o amor...será assim tão impossivel???...minha linda! nem querira saber minha historia ..rsrs, o amor, sempre o amor..rs, bjos.

Ursula disse...

Muito bonito. O amor é cego mesmo ...rs
Beijos

Poemas e Cotidiano disse...

Minha querida Saramar!
Suas palavras sempre parecem bordar esse papel marrom claro...com tons e sobre-tons.
Amor...esse amor, que vem, carrega, e desbalanca, e nos faz sentir assim como se estivessemos no ar....
Voce fala tao bonito dele, minha amiga. Voce tem petalas de flores na sua caneta...escreve e deixa perfumes.
Eu adoro voce tambem, viu? De coracao!
Um beijo com amor
MARY

Renata disse...

Que lindo, amei! rs...
Acho que no fundo eu amo o Amor!

Bjs!

maria claudete disse...

É o medo de amar que inviabiliza toda e qualquer forma de amor... perfeito o contexto em que êle foi colocado . Abraços, Claudete

luma disse...

Linda maneira que descreveu o amor.
O amor se basta!
"O amor é sempre único,
não se mostra em espelhos alheios"
Boa semana! Beijus

Anne Baylor disse...

Lindos textos.
Lindo blog.
Visitei hj.
E volto sempre.

Moita disse...

Cecília Meireles morreria de inveja.

Uma porção de cheiros

Fernando Manuel Oliveira Pinto disse...

É verdade, amiga, o amor é algo de singular, mas sempre no plural...

Beijinhos, daqui de Portugal.

Lindo cantinho, o teu! Adoro.

Bill disse...

Basta e pronto... O resto se cria...
Na batida dos dois corações em um...

Lindas palavras como sempre.

:*

Ricardo Rayol disse...

amor
feitor cruel
maldito
obriga-nos
inauditas paixões
sufocam-nos
escravizam-nos
solitários somos
sem ele.

Wescley disse...

conheci teu blogue através do sítio do caro antoniel. Há aqui um casamento poético entre imagens, tons e textos. Grande abraço de um seridoense...

Cris disse...

Querida Saramar...Vim te agradecer pela visita lá no blog e tb te convidar a conhecer meu blog novo...o endereço está abaixo, será um prazer tê-la lá...estou desativando o In The Name Of Love e conto com vc nessa mudança tá? Desde já, obrigado....
Beijão carinhoso e um bom fim de semana, Crissssssssss...

Anônimo disse...

Não canso de te ler...........
;)
elisabete cunha

Márcia(clarinha) disse...

Estou aqui minha flor, cega!
lindo dia doce Saramar
beijosssssssss