quinta-feira, abril 12, 2007

Palavras


Talvez não me ouça porque
não falo a língua altaneira dos poetas.
Em minhas palavras moram a neblina,
a treva e os tons opacos da solidão.
Nada sei de amores perfeitos,
entendo apenas de mal-me-quer.

11 comentários:

cilene disse...

eu tambem so entendo de mal -me- quer

Yvonne disse...

Lindo demais querida. Beijocas

Renata disse...

Você não sabe porque não existem amores perfeitos mesmo (quer dizer, a flor existe, né). Mas eu bem-te-quero!
bjo

Leandro Jardim disse...

mas sabe falar de flores
e eu direi ouvir estrelas
nessas palavras de dores

beiJardins

Marcos disse...

Se você não fala a fala dos poetas... Eu sou mudo.

ediney disse...

gostei das tuas palavras e sentimentos...vieu?

Ana Luiza disse...

As pessoas que tem a poesia na alma, falam dos amores bns e dos... nem tanto. E tu, Saramar és uma poetisa dos amores. É sempre muito bom chegar aqui e poder ler tuas palavras cheias de encantos. Beijo enorme e mais uma vez, obrigada pela parceria! Beijão.

Bill disse...

Quando se conhece um dos lados... O outro é imaginado...
Fala a língua dos poetas, palavras que se juntam e dançam pra lua dos olhos.

beijo moça

:*

Mary disse...

Muito lindo!

Esse mal-me-quer dói...

Bjuss

Anne Baylor disse...

Ai..
Que poeminha tristinho...
Depois do mal me quer, sempre tem o bem me quer. Caso as pétalas se acabem, a gente conta as folhas e o caule, até dar a conta certa!!!
Bjus

Márcia(clarinha) disse...

Suas palavras têm sopro de amor, trevas nunca!
Feliz findi doce Saramar
beijossssssssss