domingo, abril 01, 2007

Rio

Suas mãos são um rio.
Passam lentas e contínuas por mim.
Distraidamente, trazem lá de longe,
o limo.
E me louvam,
e lavam,
levam as feridas que julguei eternas.
Suas mãos são um rio.
Carregam flores e perfumam a dura lida
como língua de amante.
Mansas, passeiam em mim,
seu leito de se deitar.
E nas tempestades, ai meu Deus,
machucam, abrem a terra, arrancam raízes
e, violentas, invadem recônditos,
clareando tudo
chuva, rio, chuva, rio de me tomar.

Imagem: Scrmmylungsout 13

Obrigada, meus amigos, por votarem no bloguinho.
Obrigada Ricardo, a disputa foi muito boa.

19 comentários:

Edson Marques disse...

O Ricardo e o Acaso me trouxeram até aqui.

Deliciosamente.

Teus textos encantam.


Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.


Abraços, flores, estrelas..

Nômadez disse...

E o vencedor é:

Abrindo Janelas...

A diferença de um voto, é o voto de todos que votaram, o voto de cada um.
Parabéns.

Poemas e Cotidiano disse...

Minha querida Saramar!
Como suas poesias sao suaves. Elas sao uma caricia para o nosso pensamento.
Belissimas. Cheias de ternura e significados.
Adoro le-la!
Beijos com amor da
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

PS: Ah querida, e parabens pela vitoria do seu Blog.
Todas as vezes que votei, votei em voce e no Ricardo (juntos). Dois Blogs sensacionais!
Beijos
MARY

Marco disse...

Então você venceu? Iarrú! Eu torcia descaradamente por você e mesmo respeitando os concorrentes, se era para escolher o melhor então, não havia a menor dúvida. Parabéns! Nenhum blog de poesia é melhor que o seu.
Este seu poema prova isso muito bem. Mão como rio deslizando pelo corpo do ser amado... Só você mesmo e mais ninguém!
Boa semana. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Anônimo disse...

No leito do rio, das cheias e tempestades, beberei, até a lingua secar... tornarei a tomar a secar as trovoadas e tornados, até a lingua conquistar!...
OPaulo

LuccyInTheSky disse...

Muito bonito o poema!!!

Maíra disse...

Lindo texto!
Bjos

Angela disse...

Bela imagem essa das mãos tornadas rio.

Mais um maravilhoso poema que sabe tão bem ler.

Um grande beijinho para ti Saramar.

Bruxinhachellot disse...

Um poema muito bem feito. Parabéns!

Beijos de chocolate.

Marcelo disse...

o melhor das mãos... e também o que as torna tão iguais aos rios... é que não importa o quão doces, mansos, carinhosos ou violentos sejam os seus movimentos... são sempre diferentes, do alisar de um dia antes...

maria claudete disse...

suas mãos me lembraram hoje das mãos que eu necessito, quando a tempestade vem .... bastam mãos como estas para nos ajudar a transpo-la ! lindo e cheio de forças o seu texto.

Ursula disse...

Ficou lindo, adorei.
Beijos

Moita disse...

"invadem recônditos,
clareando tudo"`

É o dom de Bragi, filho de Odin. Deus da poesia, da eloquência e da sabedoria. É o protector dos trovadores. Casado com Iduna, deusa da juventude eterna.( Deuses Nórdicos).

Mil cheiros

Vera disse...

Querida Saramar, parabéns pela vitória!
As imagens do que tão bem descreves envolvem-me suavemente com a tua poesia deliciosa!

Mil beijos

Yvonne disse...

Parabéns pela sua vitória. Sinto-me um pouco responsável. Beijocas
P.S.: Você merece

luma disse...

Saramar, vim pegar minhas gotas de poesia. Sua poesia é visual!

Parabéns !! Parabéns !!

Beijus

Ricardo Rayol disse...

Rios que mansamente lavam o corpo e a alma. Você é sensacional.

DE-PROPOSITO disse...

As mãos.
Mãos que amam, que odeiam, que oferecem flores, que ferem, que curam, que matam.
As mãos simbologia de ternura ou de opressão.
Fica bem.
E beijinhos para ti (dos tais).
Manuel