quinta-feira, outubro 13, 2005



Esse blog realmente está precisando de assistência. Mas, os outros dois não me dão tempo.
Hoje estou alegre, muito alegre. A chuva me alegrou. Sentia tanta falta daquele barulhinho, daquele cheirinho de chuva.
Mas já chorei hoje. Duas vezes, aliás.
A primeira foi vendo uma foto no Globo daquelas vacas mortas em uma vala. Não sei se temho mais pena delas, coitadinhas, tão inocentes ou de nós, os brasileiros, coitadinhos, tão inocentes também, parecendo vaquinhas de presépio.
Depois chorei com uma mensagem que recebi de um amigo, falando do anjo da guarda. Fiquei tão emocionada! Serviu para me resgatar de umas inseguranças. Vou me lembrar sempre do meu anjo da guarda. Bem, se ele ainda estiver por aqui, se ainda estiver me aguentando, porque eu não sou brincadeira, dou muito trabalho.
Mas, como lágrimas não são alimento (pelo contrário, elas saem, não entram), sorri, ri, gargalhei.
Hoje foi "o" dia.
Também, depois de ontem, precisava de algum refrigério. Ontem foi um dia muito difícil. Dia das crianças e muitas crianças mortas no terremoto na Cachemira. Carequinha na UTI, jutamente neste dia e, para coroar o dia, a morte do legista do Celso Daniel.
Mas hoje, recebi esse presente do meu amigo Luiz Carlos "Natu" e fiquei teatralmente emocionada. Minha ligação com Vinicius de Moraes é muito antiga. E pensar que ele morreu no dia do meu aniversário (credo).

Mas, o presente foi esta crônica do Vinícius, que eu não conhecia. Um amor, uma lucidez, um singeleza tocantes.

Olhe aqui, Mr. Buster:
Está muito certo que o Sr. tenha um apartamento em Park Avenue e uma casa em Beverly Hills. Está muito certo que em seu apartamento de Park Avenue o Sr. tenha um caco de friso do Partenon,
E no quintal de sua casa em Hollywood um poço de petróleo trabalhando de dia para lhe dar dinheiro e de noite para lhe dar insônia
Está muito certo que em ambas as residências o Sr. tenha geladeiras gigantescas capazes de conservar o seu preconceito racial por muitos anos a vir,
E vacuum-cleaners com mais chupo que um beijo de Marilyn Monroe,
E máquinas de lavar capazes de apagar a mancha de seu desgosto de ter posto tanto dinheiro em vão na guerra daCoréia.
Está certo que em sua mesa as torradas saltem nervosamente de torradeiras automáticas e suas portas se abram com célula fotelétrica.
Está muito certo que o Sr. tenha cinema em casa para os meninos verem filmes de mocinho
Isto sem falar nos quatro aparelhos de televisão e na fabulosa hi-fi com alto-falantes espalhados por todos os andares, inclusive nos banheiros.
Está muito certo que a Sra. Buster seja citada uma vez por mês por Elsa Maxwell e tenha dois psiquiatras: um em Nova York, outro em Los Angeles, para as duas "estações" do ano.
Está tudo muito certo, Mr. Buster – o Sr. ainda acabará governador do seu Estado e sem dúvida Presidente de muitas companhias de petróleo, aço e consciências enlatadas.
Mas me diga uma coisa, Mr. Buster, me diga sinceramente uma coisa, Mr. Buster:
O Sr. sabe lá o que é um choro de Pixinguinha?
O Sr. sabe lá o que é ter uma jabuticabeira no quintal?
O Sr. sabe lá o que é torcer pelo Botafogo?


Vinicius de Moraes

P.S. o meu amigo é torcedor do Botafogo, como Vinícius

P.P.S. Vou colocar uma foto linda, que não tem nada a ver, como sempre, mas é linda!

Um comentário:

Nômade disse...

Saramar,

Na verdade minha primeira intervenção.

Pouco atrasada, acha não?

Bom, só para começar, se podemos ser feliz com o botafogo, o pixinguinha e outras coisas nossas mais, pq não o Bush com os seus?

Mesmo assim, belo post. Pelo belo, a gostosura de Lê-lo.