terça-feira, outubro 25, 2005

Viver

Não suporto mais. Pelo menos até amanhã, serei totalmente infeliz. Preciso chorar um pouco. Preciso morrer um pouco mais rapidamente. Preciso tanto de alguém, um amigo, um ombro, um tanque de guerra para me proteger.
Não tenho ninguém, não conheço ninguém, ninguém me conhece. É tudo mentira. Sou burra e insegura. Sou frágil e dissimulada. Só o Ataulfo me consola. O Ataulfo, meu cachorro, que nem meu é. É tudo assim, na minha vida. Tudo mentira. Quero colo e busco sempre um braço forte. Nunca encontrei nem um, nem o outro. Por isso, mergulho nas fantasias, como disse antes. E saio delas tão triste, tão mais sozinha.
Quero morrer. Não, isso também é mentira. Eu não quero morrer. Não sei o que quero. Não sei mais nada. E hoje, não tem florzinha, nem foto de nada.

Um comentário:

Nômade disse...

A flôr é o seu futuro.

Morrer que nada, nenhum de nós queremos.

Apenas ficamos tristes, mas eis que nos vem o futuro e nos obriga a largar o passado.

Feliz 2006, eu conheço o futuro.