sexta-feira, outubro 06, 2006

Faces

Não, amigo, não sou una. Há em mim, multidões, há pedaços de outras e seres inteiros e indefinidos que me completam. Há brincos de cigana e marcas de beijos. Minhas feras me habitam todas e algum anjo deixou fragmentos de asas por aqui. Manhãs me enchem de luz, para sempre tatuadas. Noites me habitam, em nudez e solidão. Vária, ando em fragmentos, desfruto deles e, com eles, choro. Algumas vezes, me aquieto; em outras, desato-me em rumos desconhecidos, pulando muros e tocando o sol. Há máscaras, de carnaval, umas; outras, negras, assemelham-se à morte. Sou muitas.

Lua, percorro meus mundos em busca de luz própria, perdida entre estrêlas desdenhosas a me cegar.

Bicho, carrego meus arquétipos da mata, da carne que se rasga e sangra em minha boca, na voracidade dos dias e noites e este medo que me tranca em cavernas.

Criança, acredito em promessas, em presentes, em futuros.

Mulher, desafio os deuses e os inconstantes amores e saio ilesa e forte, como do útero.

Beduína, rabisco outras trilhas de sol, fugindo da aridez dos antigos caminhos, das miragens, da sede, das dores.

Amante, devasso-me, desvasto meios-termos e hesitações, no transtorno lento ou célere da dança, tango? bolero?

Deusa, beijo as pedras terrenas por onde os pés do meu amor constroem seus caminhos, sem acreditar em minha existência.

Noite, calo-me na solidão das horas e espero o meu dia chegar.

Imagem: Bouquereau

20 comentários:

Machado de Carlos disse...

Meus nervos são de aço, não vejo calma;
As noites não dormidas são minha alma
Tento te esquecer, mas lembro em suma.Não lhe valem meus momentos de dor
Se dentro de mim, ainda existe amor;
Sem tua luz a noite é coisa alguma..

Angela disse...

Que bom que é ler-te! Bonito retrato de uma mulher multifacetada.

Beijinhos.

Dono do Bar disse...

Que bela poesia. Você é tudo isso e um pouco mais!

Tenha um ótimo final de semana.

Beijos.

DB.

wander disse...

Se reflete oa espelho não se pode ver...
Se fecho os olhos sim,quantas em uma?
Amiga nós sabemos as cores de um poeta.Infinita estas são as cores preferidas.

O tempo é inimigo mas estou aqui,saudades...

marconi leal disse...

Saramar, o texto me remeteu à poesia ou à prosa poética do Oriente. Cheio de cores e odores. Muito bom. Beijos!

Kalinka disse...

SARAMAR
Aqui estou hoje, pois adorei ler o que escreveu.
Revejo-me no que escreve: Também há em mim, multidões, há pedaços de outras e seres inteiros e indefinidos que me completam.
Mas verdade mesmo é esta: Tal como uma criança, acredito em promessas, em presentes, em futuros.
Adoro a noite, pois calo-me na solidão das horas e espero o meu dia chegar.
Como te entendo. Parabéns.
Bom fim de semana.
Beijokas.

Louco de Lisboa disse...

Como te entendo...
Por isso quando me pedem que me defina sinto-me perdido entre tantos que sou e deixo de ser que nunca me encontro, e no desencontro reconheço-me.

Kiss, até outro impulso que nos aproxime.
Gude uikende

Marco Santos disse...

Suas faces, todas muito lindas, todas tão impactantes. Você escreve que é uma barbaridade, Saramar. Dá gosto de te ler. E de reler e deixar a cabeça da gente fervilhar com as imagens que voc~e propõe.
Beijos procê.

Jôka P. disse...

Saramar, como vai ?
ando sumido das visitas aos blogs,e isso não ésó aqui.
Vim ler seus novos textos e deixar um beijo.
Jôka P.

Giulia disse...

E todas as faces intensas, sensíveis e, como esse arranjo de letras, maravilhosas! Beijos

Machado de Carlos disse...

Agradeço de coração, alma boa,
Tuas palavras de amizade pura;
A envolver-me nas as horas de amargura
Com tua mensagem que aperfeiçoa. ///Quando o cimento oculta e me aguilhoa
Neste limo e de pedra muito dura
Chegas de mansinho...encontro cura!...
— Como lhe agradecer a verbo que abençoa? ///Com tua mão perfumada esqueço a dor,
E vivo neste orbe, farto de amor!...
Como é bom ter o teu ombro cristalino! ///Tua amizade é a luz do meu mundo,
Com ela perco-me num sonho profundo!...
— Que Deus te abençoe, alma que me ilumina!...

Kristal disse...

Sou um pouco assim também, uma multidão esquisofrênica e desarvorada.

Arauto da Ria disse...

Saramar.
Este canto tem uma moldura especial nos nossos corações.
As suas palavras são um concerto de acordes que me levam á loucura.
Todos gostavamos de ser poetas e declamar os amores e desamores sentidos. A dor, a vida e o extase que sentimos ao longo do nosso percurso, mas torna-se impossivél para uns e parece tão fácil para si.
Mais uma vez perdido, venho aqui ao meu porto de abrigo, para encontrar palavras que tanto gostava de ler noutro sítio.
Para quando a militância activa num sentimento prometido.
Um beijo.
Nota: Não perca o rumo e não mo faça perder a mim.
O seu escrito é lindo mas...

eduardo disse...

Sempre quermos deesafiar os deuses e deixar p nosso lado aimal nos dominar.

manoel donini disse...

Tantas " Faces " cheias de vida, levaram-me á " Borboleta " a enfeitar a vida com cor e amor. E depois; " Insone" que está um sonho, convidando para " Amar " desfazendo febre, querendo chuva...E ai encontrei " Felicidade", mesmo com a vida amanhecendo sombria...
Desculpe; brinquei. Mas foi para demonstrar que li, com imenso prazer...
Deixo um abraço e desejo ótimo domingo.

Luna disse...

gostei muito, assim somos, compostas de varios fragmentos, que nos dão a unidade repartida
beijinhos

Loba disse...

Mocinha, depois de ler seus textos fico com a certeza do quão generosa vc é ao elogiar tanto os dos amigos. Vc escreve muito bem. É uma escrita que envolve e faz a gente querer continuar.
Eu gosto muitissimo de te ler, viu? Só sinto não ter mais tanto tempo para as boas leituras!
Grande beijo e ótima semana, querida.

Nômade disse...

Nosso dia chegou. É hoje.

Vivamo-lo então

Poemas e Cotidiano disse...

Saramar:
Acho que ja disse muitas vezes,
o quanto eu gosto do que voce
escreve!
Tanto sentimento em cada palavra,
formando um conjunto lindo de pensamentos e sentimentos.
A gente se sente dentro dos seus pensamentos.
Um beijo minha linda amiga!
Mary

Anônimo disse...

Reconpõe a alma, amando...
Porque também, estou sofrendo.

Um beijão
OPaulo