terça-feira, outubro 03, 2006

Insone


"Disfarçar minha dor, eu não consigo"
Chico Buarque

Se não sonho mais é por essa saudade que me impede o sono.
Se os meus sonhos se perderam é de ter amado tanto que não mais existem quimeras.
Acordada, sonho apenas com quem partiu, cigano, levando minhas pálpebras, deixando apenas retinas tomadas por uma única imagem de uma tristeza sem jeito, inútil, sem regresso. Só dor.
Acordada, dia após dia, sigo sua sombra que insiste na madrugada, fantasma do meu querer triste, anel de noivado que perdeu a pedra e a cor, falso.
Cansada de ilusões, tento me entorpecer e apagar sua mão da memória destes meus poros de infernais desejos.
Ai, eu tento, em vão. Rasgo suas fotografias, colo os pedaços, colo seus pedaços indefinidamente. Só os meus continuam dispersos por aí, à sua procura.

Imagem: Haley Brown

9 comentários:

Poemas e Cotidiano disse...

Saramar querida:
Voce escreve de um modo que emociona.
Cria frases e palavras totalmente perceptiveis ao coracao.
Quando escreve, parece que esta mesmo arrancando a pele de sua alma.
Esse escrito esta muito lindo. Romanticamente lindo e triste.
Mas muito lindo!
Beijos querida
MARY

Freeman disse...

Querida Saramar,
Obrigado pelas palavras sempre doces e amáveis.

Angela disse...

Como é difícil esquecer um amor!

O teu texto é lindo! Consegues mesmo tocar as emoções do teu leitor!

Adorei!

Beijinhos.

Anônimo disse...

Que bom ter sonhos! Parece que quando dormimos nossa alma inicia uma outra vida com personagens que conhecemos, e, no entanto quando acordamos, infelizmente, esquecemos deles. Assim confundimos o que é realidade. Penso que a vida encarnada é uma ilusão.

Carlos,

(Machado de Carlos)

Anônimo disse...

Sempre que venho aqui fico delirando com os seus pensamentos tão bem escritos. É difícil encontrar textos bem elaborados e sintetizados com são os seus. Espero que sejamos grandes amigos. Um grande abraço

Carlos

http://machadodekarlos.blog.uol.com.br/

Marco Santos disse...

Ah, Saramar... Você cria imagens com as palavras que nos tornam cativos de seus textos. Que beleza. Este tem uma tristeza tão profunda que nos deixa um pouco triste também.
Beijos procê.

Giulia disse...

Melancólico e intenso, como uma insônia...
Beijos

Antonio (Tavola Redonda) disse...

Não deixe a saudade tomar conta. A melancolia deve ser um exercício de estimulo, uma busca, não uma tortura. Embora ela esteja te ajudando a produzir esse texto fenomenal, espero que isso passe logo.
Gostei de saber que concordas comigo politicamente. Mais uma coisas que temos em comum além do sentimentalismo (no bom sentido!)
Bjossss
Fique em paz...

Sueli disse...

Que coisa mais linda! Fiquei boquiaberta... Aliás, todo seu blog é lindo demais, nem sabia onde comentar. Permita-me voltar sempre. Vim até aqui guiada pelo blog do Xavier. Simplesmente, amei. Parabéns! Sueli